Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Patriarca de Lisboa será Cardeal. D. Manuel Clemente foi este domingo nomeado pelo Papa Francisco para o novo título. O português vai ser criado cardeal a 14 ou 15 de fevereiro, dias nos quais se realizará um consistório — reunião de cardeais –, anunciou o Vaticano. Em outubro, e durante duas semanas, D. Manuel Clemente esteve no Vaticano em representação da Conferência Episcopal portuguesa.

O patriarca português será um de 15 novos cardeais eleitores nomeados pelo Papa Francisco, provenientes de 14 países. “Qualquer cardeal é, acima de tudo, um conselheiro específico que pode ser consultado em determinados assuntos quando o Papa o desejar, pessoal ou colegialmente”, explicou, este domingo, a agência Ecclesia.

Até agora, Portugal tinha dois representantes no Colégio dos Cardeais do Vaticano: D. José Saraiva Martins, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos (já com mais de 80 anos), e D. Manuel Monteiro de Castro, penitenciário-mor emérito. D. Manuel Clemente, aliás, é o quarto português a ser nomeado cardeal no século XXI — antes, também D. José Policarpo, falecido em março de 2014, fora nomeado cardeal pelo Papa João Paulo II.

[jwplatform tRwIFvIP]

D. Manuel Clemente, em entrevista ao Observador, confessou em dezembro: “Este Papa é um homem encantador”. O patriarca frisou que “não há dois papas iguais” e revelou esperar “que este Francisco dure muito e que a seguir venha um segundo e um terceiro” — por considerar “muito positiva a forma como leva à desabituação de coisas que podiam ser dadas por adquiridas, mas que foram desaparecendo”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Manuel José Macário do Nascimento Clemente nasceu em Torres Vedras, a 16 e julho de 1948. Formou-se em História Geral na Universidade de Lisboa, tendo depois ingressado Seminário Patriarcal do Cristo Rei dos Olivais. Doutorou-se em Teologia História, na Universidade Católica, e foi ordenado padre em junho de 1979. Vinte anos depois é nomeado como Bispo do Porto, cargo que assumiu até maio de 2013, quando substituiu D. José Policarpo como Patriarca de Lisboa.

O Vaticano integra atualmente 110 cardeais eleitores, entre os quais 52 são europeus — dos restantes, 17 são naturais da América do Norte, 16 são latino-americanos, 13 vêm de África, 11 são provenientes da Ásia e apenas um é oriundo da Oceânia.

Entre os 15 cardeais nomeados na manhã deste domingo pelo Papa Francisco está também D. Arlindo Furtado, Bispo de Santiago, em Cabo Verde, além de D. Júlio Duarte Langa, bispo emérito de Xai-Xai, em Moçambique. Esta é a segunda vez que o Papa Francisco, desde que assumiu o pontificado, em março de 2013, nomeia cardeais: em 2013, o sumo pontífice escolheu 19 novos cardeais, 16 dos quais eleitores.