As famílias de dois polícias de Nova Iorque que foram assassinados em dezembro receberam uma doação anónima de um milhão de dólares de um empresário de Hong Kong, informaram fontes policiais.

A doação vai beneficiar os filhos do polícia Rafael Ramos e o pai do agente Wenjian Liu, mortos por um indivíduo que invocou o nome de dois negros norte-americanos abatidos por agentes da polícia no ano passado.

A informação foi divulgada numa conferência de imprensa de representantes da Associação de Beneficência de Detetives, que vai ficar encarregue da administração dos fundos.

Meio milhão de dólares são destinados à educação dos dois filhos de Ramos e o restante, em cinco parcelas anuais, será atribuído ao pai de Liu.

Ramos, de 40 anos, e Liu, de 32, morreram por disparos de Ismaaiyl Brinsley, de 28 anos, que se suicidou depois de perpetrar o duplo homicídio no distrito nova-iorquino de Brooklyn.

Em mensagens publicadas previamente nas redes sociais, Brinsley disse que tinha intenção de vingar a morte de dois negros mortos em ações policiais: Eric Garner, em Nova Iorque, em julho passado, e Michael Brown, em Ferguson, no estado do Missouri, em agosto.