Arrogante, suja e sem vergonha. Esta é a definição da mulher muçulmana que se tem deixado levar pelo “pecado” das selfies. Essa é a opinião do clérigo muçulmano Felix Siauw, que defende que as selfies devem ser “proibidas, especialmente para as mulheres”. Siauw recorreu ao Twitter, onde tem mais de um milhão de seguidores, para escrever o que pensa. “Por estes dias, muitas mulheres muçulmanas têm tirado selfies sem vergonha. Aquelas poses faciais (…) Meu Deus, onde está a pureza da mulher?” A selfie é publicada nas redes sociais e é essa sede de “protagonismo” e de “ostentação” que leva as mulheres a caírem no “pior pecado de todos — a arrogância”, escreveu.

As reações à opinião do clérigo muçulmano não se fizeram esperar. Contra selfies, respondeu-se com… selfies. Com a hashtag #selfie4siauw, os utilizadores do Twitter têm colocado fotografias naquela rede social. As respostas chegam sobretudo da Indonésia, país onde os smartphones e as redes sociais são muito populares, relata a Quartz. Além disso, o exemplo vem de cima — o próprio presidente da Indonésia, Joko Widodo, é um fã da tendência.

Já há também uma página no Twitter Anti Felix Siauw. As fotografias espalham-se e a comunidade pró-selfie aumenta.

https://twitter.com/_bje/status/557214231012343809