Barack Obama vai impor limites à utilização da informação que é recolhida pelas agências de inteligência dos Estados Unidos da América (EUA) relacionada com estrangeiros, avançou a Bloomberg esta terça-feira. A informação foi divulgada pelo gabinete do Diretor da Inteligência Nacional, o principal conselheiro do presidente e do Conselho de Segurança Nacional.

As novas medidas, que incluem eliminar informações que não seja relevante para a segurança nacional (cinco anos depois de ter sido recolhido), são a resposta do presidente dos EUA às reações contra a espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA) norte-americana. Em causa, estão as informações divulgadas por Edward Snowden, o ex-administrador de sistemas que divulgou centenas de documentos da NSA.

Em dezembro de 2014, Snowden foi distinguido com a Medalha Carl von Ossietsky, que a Liga Internacional dos Direitos Humanos entrega desde 1962. Exilado em Moscovo, participou na cerimónia através de videoconferência e foi distinguido por “ter mostrado, através das suas revelações, o maior escândalo de vigilância e espionagem de todos os tempos, dos serviços secretos”.