Rigoroso, organizado, altamente motivado. Se possível, não judeu. Estes são os requisitos de uma empresa francesa de design gráfico cujo anúncio de emprego num site está a causar polémica no país onde há menos de um mês ocorreu um sequestro num supermercado kosher (que segue as regras da alimentação judaica), no seguimento do ataque à redação do jornal satírico Charlie Hebdo.

A empresa – NSL Studio – publicou o anúncio no site graphic-jobs.com. Um candidato deu conta do requisito, fez uma captura de ecrã e publicou a imagem no seu Facebook, como escreve o Guardian. A imprensa francesa acompanhou a história e a revista Les Inrocks conseguiu falar com um responsável pela SNL Studio que, sob anonimato, disse não considerar o anúncio “discriminatório”, acrescentando que a sua empresa não queria contratar trabalhadores que poderiam ficar limitados por preocupações “religiosas ou culturais”.

Pouco depois, a empresa recorreu ao twitter para se justificar: o site sofreu um ataque informático. O NSL Studio nunca publicaria um anúncio discriminatório, pode ler-se no tweet:

https://twitter.com/NSL_Studio/status/562285246717394944

E depois, no Facebook, a empresa afastou-se de “todos os atos ou depoimentos racistas/antissemitas”, sublinhando ser uma “agência íntegra que não faz discriminação” e acrescentando que aceita candidatos de “todas as origens”.

nsl

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar disto, o grupo anti-racista SOS Racisme já avisou que avançará com uma ação legal contra a empresa. Citado pela BBC, o advogado da organização, Alexandre-M Braum, disse que os indivíduos estão a ser reduzidos às suas características religiosas. “Este e aquele não podem trabalhar comigo porque é judeu”, disse, acrescentando: “Os judeus estão a ser considerados indesejáveis”.

Depois dos ataques do início de janeiro, a segurança em França foi reforçada e, especificamente, em torno de sinagogas e outros locais associados à comunidade judaica. O número de ataques antissemitas no país duplicou entre 2013 e 2014, anunciou recentemente a principal organização judaica francesa.