Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Torre Eiffel é o monumento mais valioso da Europa. Recebe oito milhões de turistas por ano e foi avaliada em 435 mil milhões de euros. Mede 312 metros e foi a construção mais alta do mundo durante 40 anos. Contudo, em 1890, houve quem tentasse competir com o tamanho da Dama de Ferro. Um político e empresário chamado Edward Watkin decidiu, em outubro de 1889 — o ano da grande Exposição Universal em que a Torre Eiffel foi inaugurada –, lançar um concurso para a construção de uma “Great Tower of London” em Wembley. “O que Paris fizer”, exclamava Watkin, “Londres consegue fazer maior!”.

Na secretária de Sir Watkin caíram centenas de propostas — das quais 68 estão neste catálogo ilustrativo. As semelhanças com a torre de Paris são flagrantes. Mas todas elas preveem uns metrinhos a mais.

Foto1

Foto2

A proposta vencedora, no entanto, foi esta: uma estrutura em aço, de base octogonal, com quatro elevadores, um átrio central, um hotel com 90 quartos e uma zona para restaurantes. A altura? Aproximadamente 366 metros, 40 metros a mais que a Torre Eiffel.

Foto3

Segundo este artigo do CityLab, o plano de Sir Watkin era criar um parque com um terminal de comboios, restaurantes, lojas, passeios, banhos turcos, um teatro e até um observatório meteorológico. Chamar-se-ia Wembley Park Tower. Mas o sonho nunca se cumpriu. Em 1894, ano em que a construção parou por falta de financiamento, tinham sido edificados apenas 45 metros de aço. Estrutura que por lá ficou, abandonada, até 1904. A torre de Watkin passou a ser alvo de chacota, ganhando alcunhas mesquinhas como Watkin’s Folly ou The London Stump.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Porém, nem tudo é trágico. Em 1923 nasceu, no mesmo local, o Estádio de Wembley. Se a torre se tivesse erguido, Londres não teria assistido ao grande concerto dos Queen em 1986, nem se teria ali jogado uma das partidas de futebol mais memoráveis da história: a final do Mundial de 1966, em que a seleção da casa venceu a Alemanha.