O Estado britânico aceitou a dação de 37 quadros da autoria de Winston Churchill em troca de um pagamento de mais de 13 milhões de euros em impostos ligados à herança da filha do antigo primeiro-ministro. Mary Soames, a filha mais nova de Churchill, morreu em maio do ano passado e acordou com o Reino Unido que a maioria dos quadros vai permanecer na propriedade da família, coleção que está aberta ao público desde 1966.

Apenas dois quadros não vão ficar em Chartwell, propriedade adquirida por Churchill e pela mulher em 1922 perto de Kent. “Coast Scene Near Cannes”, pintado em 1935, será entregue ao Parlamento britânico e “View From a Bathing Hut at the Miami Surf Club”, pintado em 1946, irá para os Churchill War Rooms, gabinete de guerra de onde Churchill comandou as forças britânicas durante a II Guerra Mundial.

A proposta foi submetida ao Painel de Aceitação por Dação, que aceita o pagamento de impostos ao Estado através de obras de arte, e Edward Harley, presidente deste organismo, disse que se trata de “uma oportunidade de assegurar que os visitantes de Chartwell podem continuar a apreciar Churchill nas suas várias vertentes”, segundo o Guardian. Já o ministro da Cultura, Ed Vaizey diz que “faz sentido” que no 50º aniversário da morte de Churchill – morreu em 1965 – os seus quadros sejam expostos em três locais “com tanto significado na sua vida”, segundo a BBC.

Mary Soames disse que o pai começou a pintar em 1915, quando tinha 41 anos, e que a pintura adquiriu “um papel cada vez mais importante na sua vida”, servindo como fonte para renovação das forças e motivação para ultrapassar depressões e dificuldades. Churchill pintou mais de 500 quadros e a maioria está exposta em Chartwell. Os quadros de Churchill são muito procurados e o último a ir a leilão arrecadou mais de 2,5 milhões de euros.