O treinador português Carlos Queiroz, que vai rescindir contrato com a seleção de futebol do Irão, foi, este sábado, impedido pelas autoridades de embarcar no aeroporto internacional Imam Khomeini por dívidas ao fisco.

“Foi comunicado ao senhor [Carlos] Queiroz que está impedido de sair do país por falta de pagamento de impostos”, noticiou a agência de notícias iraniana IRNA, que acrescenta que o técnico português “estava muito zangado” com a situação.

Carlos Queiroz integrava a comitiva da seleção iraniana que seguia para a Áustria, onde o Irão disputará um jogo particular com o Chile, St. Poelten, a 26 de março.

Cinco dias depois, a equipa iraniana, ainda sob o comando de Queiroz, disputa outro ‘amigável’ na Europa, em Solna, frente à Suécia. Após este jogo, Carlos Queiroz abandonará o cargo de selecionador.

Segundo a IRNA, o contrato de Carlos Queiroz com a Federação Iraniana de Futebol estipula que compete ao organismo o pagamento dos impostos relativos aos rendimentos do selecionador.

Outros órgãos de comunicação social iranianos noticiam que o presidente da federação, Ali Kafashian, já está a caminho de Teerão para tentar resolver o problema.