Foi desenvolvida uma bateria capaz de ser totalmente carregada em apenas um minuto, segunda avança uma equipa de cientistas ao jornal inglês The Guardian. Pretende-se que o modelo inovador, feito de alumínio, venha a substituir as baterias atuais de lítio e possa ser utilizado em telemóveis e computadores portáteis.

A equipa de investigadores que desenvolveu o protótipo afirma que para além do reduzido tempo de carregamento, “sem precedentes”, as novas baterias de alumínio permitem uma utilização mais segura do que os atuais modelos de lítio, já que são menos propensas a incendiarem-se. As novas baterias são também mais amigas do ambiente.

O estudo que esteve na base do desenvolvimento do protótipo das novas baterias foi publicado originalmente no jornal académico Nature. Hongjie Dai, um professor de química da universidade norte-americana de Stanford, na Califórnia, reconheceu que este desenvolvimento tecnológico vai muito para além das tentativas anteriores utilizando alumínio.

“Nós desenvolvemos uma bateria recarregável de alumínio que pode substituir os dispositivos de armazenamento existentes atualmente, como as baterias alcalinas, que têm um impacto negativo para o ambiente, ou as baterias de lítio que ocasionalmente pegam fogo. A nossa nova bateria não pega fogo, mesmo se for perfurada”, afirmou Dai.

“Milhões de consumidores utilizam baterias de 1,5 volts AA e AAA. A nossa bateria recarregável de alumínio gera cerca de dois volts de eletricidade. Esse é um valor superior a qualquer outro conseguido com alumínio”, acrescentou o investigador, segundo o The Guardian.

Este novo protótipo garante cerca de 7.500 ciclos de carregamento sem perda de capacidade. Este é um número que ultrapassa largamente as primeiras versões de baterias de alumínio, que deixavam de funcionar após 100 ciclos de carregamento. Já a capacidade das baterias de lítio começa a diminuir ao fim de aproximadamente mil ciclos. Adicionalmente, Dai explicou que as baterias de lítio se podem “comportar de maneira imprevisível”.

O novo protótipo pode ser utilizado também para armazenar energia renovável da rede elétrica, dizem os investigadores. Ming Gong, o coautor do estudo, revela que “outra característica da bateria de alumínio é a sua flexibilidade. Como pode ser dobrada, tem o potencial para ser usada em dispositivos eletrónicos flexíveis.” Para além disso, “o alumínio é um metal mais barato que o lítio”. E altamente reciclável.