A aproximação do verão piorou a situação de seca no estado da Califórnia, Estados Unidos. Uma seca que se arrasta há quatro anos e que se agravou drasticamente no último mês. Sendo que o pior parece mesmo estar ainda para vir.

Segundo o Serviço de Florestas dos Estados Unidos, estima-se que seja necessário um investimento de mil milhões de dólares (cerca de 883 milhões de euros) em mecanismos de combate a incêndios. Com as temperaturas a começarem a aumentar, o corpo de bombeiros reforça-se para apagar os 10 mil incêndios previstos.

Aquela que é considerada a maior seca na Califórnia dos últimos 1200 anos já secou 12,5 milhões de árvores. A baixa quantidade de água em circulação no solo torna-os inférteis e a vegetação torna-se escassa. Como consequência, os animais que dependem de pasto vêm o alimento desaparecer e acabam também por morrer. O setor agrícola é assim a área económica americana que mais sofre com os baixíssimos níveis de água armazenados nos reservatórios dos Estados Unidos.

Os reguladores da utilização de água já adoptaram regras rígidas sobre a utilização de água nos espaços urbanos. Nem já junto às casas dos famosos em Los Angeles é possível regar a relva.