Um forte sismo atingiu a costa do Japão, este sábado. O abalo foi sobretudo sentido no arquipélago de Ogasawara, mas também fez abanar, durante cerca de um minuto, edifícios em Tóquio. Não foi lançado alerta de tsunami.

O terramoto, de magnitude 7.8 na escala de Richter, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos, teve o seu epicentro debaixo de água, a 874 quilómetros de Tóquio, e ocorreu às 20h24 locais (12h24 em Lisboa). Já o Centro de Alertas de Tsunami no Pacífico fala numa magnitude de 8.5, com o epicentro a uma grande profundidade. Até agora o Observador ainda não conseguiu perceber afinal qual a magnitude exata e a explicação para esta divergência de valores.

A agência pública NHK noticiou que não há ainda relatos de feridos e danos.

O tremor foi poderoso o suficiente para sacudir grandes partes da ilha principal de Honshu do Japão. Os prédios abanaram em Tóquio, que dista a cerca de 1.000 km, para norte, das ilhas do arquipélago de Ogasawara, e alguns comboios pararam na cidade. Cerca de 400 casas em Saitama, a norte de Tóquio, ficaram sem energia, de acordo com a Tokyo Electric Power Co., está a noticiar a Associated Press.

A agência meteorológica não emitiu um alerta de tsunami porque o terremoto ocorreu no mar e terremotos profundos no mar geralmente não causam tsunamis e geralmente causam menos danos do que os que ocorrem à superfície.

Em março de 2011, o terremoto de magnitude 9.0 que fez tremer o nordeste do Japão, desencadeou um tsunami que matou mais de 18.500 pessoas e devastou grande parte da norte da costa do Pacífico. A profundidade desse terramoto foi de apenas 24 km, de acordo com a agência meteorológica, citada pela Associated Press.