A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, propôs ao maior sindicato da PSP, esta quinta-feira, um aumento salarial de cerca de 50 euros por mês. Mas os polícias não conseguiram reclamar duas das principais exigências dos seus sindicatos: um horário semanal de trabalho de 36 horas e a manutenção dos 25 dias de férias que usufruem atualmente, escreve o Diário de Notícias.

A ministra vai reduzir os dias de férias para 22 dias, e as 36 horas de trabalho vão apenas aplicar-se aos operacionais. Anabela Rodrigues admite, contudo, que possam existir compensações pelo excesso de trabalho. Os dois pedidos tinham sido entregues ao ministério pelos 12 sindicatos da PSP.

Os aumentos salariais vão traduzir-se num custo de 10 milhões de euros. Os polícias vão ainda beneficiar de regras de pré-aposentação semelhantes às dos militares de forma automática, quando completarem 55 anos de idade e 36 de serviço. Será também reduzido o tempo de permanência em cada e uma progressão de carreira mais rápida.