Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Estas são as soluções dos exames nacionais do ano passado (2015). As correções do exame de Português 12º ano de 2016 estão aqui.

PORTUGUÊS 12º ANO

A correção da Prova Final de Português, referente ao 12º ano do Ensino Secundário foi disponibilizada no site Da Vinci – Ginásios da Educação. Se pretende ler o enunciado do teste, siga para este site. Para consultar os critérios de correção na íntegra clique aqui.

Grupo I – A

Resposta correta Pontuação
1 20
Aspetos de conteúdo 12
Explicita, adequadamente, o contraste existente no modo como o cravo é transportado, primeiro, até ao portão da quinta e, depois, até à abegoaria. 12
Explicita, de modo não totalmente completo ou com pequenas imprecisões, o contraste existente no modo como o cravo é transportado, primeiro, até ao portão da quinta e, depois, até à abegoaria. 9

Explicita, de modo não totalmente completo e com pequenas imprecisões, o contraste existente no modo como o cravo é transportado, primeiro, até ao portão da quinta e, depois, até à abegoaria.

OU

Explicita, de modo incompleto ou com imprecisões, o contraste existente no modo como o cravo é transportado, primeiro, até ao portão da quinta e, depois, até à abegoaria.

6
Refere-se, de modo incompleto e com imprecisões, ao contraste existente no modo como o cravo é transportado, primeiro, até ao portão da quinta e, depois, até à abegoaria. 3
Aspetos de estruturação do discurso e correção linguística 8
R.

Da Rua Nova dos Mercadores até ao portão da quinta, o cravo é carregado por dois homens experientes, que usam os processos adequados para, com o seu saber e com os cuidados necessários, levarem a carga até São Sebastião da Pedreira.

Já do portão até à abegoaria, o transporte é feito por Baltasar e por Blimunda, que, por lhes faltar experiência neste tipo de trabalho e por receio de danificar tão frágil instrumento, tiveram muita dificuldade em fazer chegar o cravo ao seu destino.

2 20
Aspetos de conteúdo 12
Explica, adequadamente, a forma como, ao longo do excerto, a música de Scarlatti se vai articulando com os diferentes trabalhos de Baltasar e de Blimunda na abegoaria. 12
Explica, de modo não totalmente completo ou com pequenas imprecisões, a forma como, ao longo do excerto, a música de Scarlatti se vai articulando com os diferentes trabalhos de Baltasar e de Blimunda na abegoaria. 9
Explica, de modo não totalmente completo e com pequenas imprecisões, a forma como, ao longo do excerto, a música de Scarlatti se vai articulando com os diferentes trabalhos de Baltasar e de Blimunda na abegoaria.
OUExplica, de modo incompleto ou com imprecisões, a forma como, ao longo do excerto, a música de Scarlatti se vai articulando com os diferentes trabalhos de Baltasar e de Blimunda na abegoaria.
6
Refere-se, de modo incompleto e com imprecisões, à forma como, ao longo do excerto, a música de Scarlatti se vai articulando com os diferentes trabalhos de Baltasar e de Blimunda na abegoaria. 3
Aspetos de estruturação do discurso e correção linguística 8
R.

No dia da chegada do cravo à abegoaria, Scarlatti procedeu à sua afinação, após o que começou a tocar, encadeando os sons de forma progressivamente mais complexa. Entretanto, Baltasar e Blimunda dedicavam-se a trabalhos pouco ruidosos (entrançar vimes e coser velas), tarefas que não interferiam com a música de Scarlatti.

Nas visitas posteriores à quinta, Scarlatti nem sempre pedia que cessassem os trabalhos ruidosos que decorriam na abegoaria; assim, o som do cravo fluía de forma harmoniosa, apesar do rugir da forja, do malho a bater na bigorna ou da água a ferver na tina.

3 20
Aspetos de conteúdo 12
Justifica, adequadamente, o comentário do narrador, tendo em conta o sentido das palavras de ambas as personagens. 12
Justifica, de modo não totalmente completo ou com pequenas imprecisões, o comentário do narrador, tendo em conta o sentido das palavras de ambas as personagens. 9
Justifica, adequadamente, o comentário do narrador, tendo em conta o sentido das palavras de uma das personagens.
OU
Justifica, de modo não totalmente completo e com pequenas imprecisões, o comentário do narrador, tendo em conta o sentido das palavras de ambas as personagens.
6
Justifica, de modo não totalmente completo ou com pequenas imprecisões, o comentário do narrador, tendo em conta o sentido das palavras de uma das personagens.
OU
Refere-se, de modo incompleto e com imprecisões, ao comentário do narrador, tendo em conta o sentido das palavras de ambas as personagens.
3
Aspetos de estruturação do discurso e correção linguística 8
R.

O comentário do narrador justifica-se pela surpresa que as palavras de Blimunda e de Baltasar lhe provocam, dado que, sendo eles iletrados, são capazes de verbalizar pensamentos tão complexos e elaborados.

Efetivamente, face à possibilidade de a passarola voar, Blimunda admite que a música se possa integrar no voo como expressão de harmonia e de celebração.

Já Baltasar, levado pelas recordações negativas da guerra, antevê desastres e sofrimento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Grupo I – B

Resposta correta Pontuação
4 20
Aspetos de conteúdo 12
Refere, adequadamente, dois dos traços que contribuem para a humanização da música nas cinco primeiras estrofes do poema, apresentando transcrições que comprovam a resposta. 12
Refere, adequadamente, um dos traços e, com pequenas imprecisões, outro dos traços que contribuem para a humanização da música nas cinco primeiras estrofes do poema, apresentando transcrições que comprovam a resposta.
OURefere, com pequenas imprecisões, dois dos traços que contribuem para a humanização da música nas cinco primeiras estrofes do poema, apresentando transcrições que comprovam a resposta.
9
Refere, adequadamente, um dos traços que contribuem para a humanização da música nas cinco primeiras estrofes do poema, apresentando transcrições que comprovam a resposta. 6
Refere, com pequenas imprecisões, um dos traços que contribuem para a humanização da música nas cinco primeiras estrofes do poema, apresentando transcrições que comprovam a resposta. 3
Aspetos de estruturação do discurso e correção linguística 8
R. A humanização da música decorre de vários aspetos, nomeadamente do facto de esta:
– estar associada a vivências subjetivas do ser humano − «Povoa este deserto» (v. 2);
– serindissociáveldaidentidadedoserhumano−«A música do ser/ Interior ao silêncio/ Cria seu próprio tempo / Que me dá morada» (vv. 8-11);
– possuir uma voz que é companheira do «eu» poético − «Palavras silabadas / Vêm uma a uma / Na voz da guitarra» (vv. 5-7); «Por companheira tenho / A voz da guitarra» (vv. 15-16).
5 20
Aspetos de conteúdo 12
Explicita, adequadamente, a importância da música na construção da identidade do «eu», de acordo com o conteúdo das duas últimas estrofes. 12
Explicita, de modo não totalmente completo ou com pequenas imprecisões, a importância da música na construção da identidade do «eu», de acordo com o conteúdo das duas últimas estrofes. 9
Explicita, de modo não totalmente completo e com pequenas imprecisões, a importância da música na construção da identidade do «eu», de acordo com o conteúdo das duas últimas estrofes.
OUExplicita, de modo incompleto ou com imprecisões, a importância da música na construção da identidade do «eu», de acordo com o conteúdo das duas últimas estrofes.
6
Refere-se, de modo incompleto e com imprecisões, à importância da música na construção da identidade do «eu», de acordo com o conteúdo das duas últimas estrofes. 3
Aspetos de estruturação do discurso e correção linguística 8
R. A música é fundamental na construção da identidade do «eu», na medida em que:
– tem o poder de conferir unidade ao «eu» poético – «O canto me reúne» (v. 18); «E agora de mim / Não me separa nada» (vv. 21-22);— potencia o reencontro com um tempo primordial e puro– «De muito longe venho/ Pelo canto chamada». (vv. 19-20); «Num silêncio de areia / Que não foi pisada» (vv. 26-27).

Grupo II

Versão 1 Versão 2 Pontuação
1 (B) (D) 5
2 (C) (D) 5
3 (A) (C) 5
4 (C) (B) 5
5 (B) (C) 5
6 (D) (B) 5
7 (B) (A) 5
8 A sabedoria dos odores 5
9 Complemento direto 5
10 (Oração) subordinada (adverbial) concessiva 5

Grupo III

Resposta correta Pontuação
1 50
Estruturação temática e discursiva 30
Correção linguística 20
R. Dada a natureza da pergunta, não é apresentado um cenário de resposta.

LATIM 11º ANO

A correção da Prova Final de Latim, referente ao 11º ano do Ensino Secundário foi disponibilizada no site Da Vinci – Ginásios da Educação. Se pretende ler o enunciado do teste, siga para este site. Para consultar os critérios de correção na íntegra clique aqui.

Grupo I

Resposta correta Pontuação
1.1 Chave: ablativo (singular) e complemento circunstancial de lugar (onde) 4
Identifica corretamente o caso e a função sintática. 4
Identifica corretamente apenas o caso.
OU
Identifica corretamente apenas a função sintática.
2
1.2 Chave: nominativo (singular) e sujeito (de commotum est). 4
Identifica corretamente o caso e a função sintática. 4
Identifica corretamente apenas o caso.
OU
Identifica corretamente apenas a função sintática.
2
1.3 Chave: acusativo (singular) e complemento direto (de congregauerunt). 4
Identifica corretamente o caso e a função sintática. 4
Identifica corretamente apenas o caso.
OU
Identifica corretamente apenas a função sintática.
2
1.4 Chave: ablativo (singular) e complemento agente da passiva. 4
Identifica corretamente o caso e a função sintática. 4
Identifica corretamente apenas o caso.
OU
Identifica corretamente apenas a função sintática.
2
2.1 Chave: 3.a pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo, voz passiva, do verbo commoueo, -es, -ere,-ui,-tum. 4
Classifica, de modo completo e correto, a forma verbal, enunciando o verbo a que pertence. 4
Refere apenas:
– o tempo e o modo.
OU
– o tempo, o número e a voz. OU
– o tempo, a pessoa e a voz.
2
Refere apenas: – o modo.
OU
– o tempo.OU
– a pessoa, o número e a enunciação do verbo. OU
– a pessoa, o número e a voz.
1
2.2 Chave: particípio presente no nominativo, masculino, plural do verbo uago, -as, -are, -aui, -atum. 4
Classifica, de modo completo e correto, a forma verbal, enunciando o verbo a que pertence. 4
Refere apenas:
– particípio presente no nominativo.
OU
– particípio presente, masculino, plural.
OU
– particípio presente e a enunciação do verbo.
2
Refere apenas:
– particípio presente.
OU
– particípio no nominativo.
OU
– particípio e a enunciação do verbo.
1
3 Chave: ablativo absoluto ou ablativo oracional. 6
Identifica a estrutura de forma completa e correta. 6
Refere apenas ablativo. 2

Grupo II

Tópico Pontuação
Reprodução fiel do sentido do texto 56
E, subitamente, uma nova guerra foi provocada em Itália. Na realidade, sendo chefes Espártaco, Crixo e Enómao, setenta e quatro gladiadores, destruída a escola de Cápua (em Cápua), fugiram e, vagueando (errando) por Itália, aí (nela) quase fizeram uma guerra não mais ligeira do que a que Aníbal havia feito (fizera). Com efeito, tendo sido vencidos muitos generais e dois cônsules dos Romanos em simultâneo, reuniram um exército com aproximadamente sessenta mil homens armados e foram vencidos, na Apúlia, por Marco Licínio Crasso.
Segmento do texto Tradução Pontuação
Et in Italia … commotum est E, subitamente, uma nova guerra foi provocada em Itália. 6
Septuaginta enim quattuor gladiatores […] fugerunt Na realidade, setenta e quatro gladiadores fugiram 6
ducibus … et Oenomao sendo chefes Espártaco, Crixo e Enómao, 5
effracto Capuae ludo destruída a escola de Cápua (em Cápua), 5
et per Italiam uagantes e, vagueando (errando) por Itália, 5
paene non leuius bellum in ea […] parauerunt. aí (nela) quase fizeram uma guerra não mais ligeira 7
quam Hannibal mouerat do que a que Aníbal havia feito (fizera). 5
Nam, multis ducibus … uictis Com efeito, tendo sido vencidos muitos generais e dois cônsules dos Romanos em simultâneo, 7
sexaginta … congregauerunt reuniram um exército com aproximadamente sessenta mil homens armados 5
uictique sunt … a Marco Licinio Crasso. e foram vencidos, na Apúlia, por Marco Licínio Crasso. 5
Tópico Pontuação
Correção linguística 14
Pontuação atribuída Pontuação máxima
47-56 14
37-46 11
27-36 8
17-26 5
11-16 2
0-10 0

Grupo III

Resposta correta Pontuação
1.1 Chave: leue. 3
1.2 Chave: leuissimum. 3
2 (C) 5
3.1 Chave: illum. 4
3.2 Chave: (ab) illo. 4
4 16
Spartacus multique socii e(x) ludo Capuae fugerunt 7
et bellum in Italia mouerunt. 4
Postea, Crassus eos uicit. 5
R. Spartacus multique socii e(x) ludo Capuae fugerunt et bellum in Italia mouerunt. Postea, Crassus eos uicit.

Grupo IV

Resposta correta Pontuação
1.1 6
Escreve e explicita o sentido de uma palavra portuguesa etimologicamente relacionada com o vocábulo latino apresentado. 6
Escreve uma palavra portuguesa etimologicamente relacionada com o vocábulo latino apresentado, sem lhe explicitar o sentido. 2
R. conduzir – levar (alguém a alguma parte); dirigir, orientar, guiar, comandar, reger, governar.
1.2 6
Escreve e explicita o sentido de uma palavra portuguesa etimologicamente relacionada com o vocábulo latino apresentado. 6
Escreve uma palavra portuguesa etimologicamente relacionada com o vocábulo latino apresentado, sem lhe explicitar o sentido. 2
R. belicista – que defende a resolução de conflitos por meio da força ou da guerra; que defende o aumento do material bélico; pessoa que é partidária da guerra ou do uso de armas.
2.1 (B) 5
2.2 (C) 5
3.1 ludo (linha 2). 4
3.2 duobus (linha 4). 4

Grupo V

Pontuação
1 35

– Arquitetura dos espaços:

o circo era constituído por uma extensa pista alongada, ladeada por bancadas, dividida ao meio pela spina, quase sempre ornamentada com esculturas, à volta da qual se efetuavam as corridas;
o anfiteatro tinha uma forma elíptica ou oval; incluía a arena, onde decorriam os espetáculos, e a cauea, parte reservada aos espectadores; possuía uma enorme cobertura de lona (uelarium) destinada a proteger os espectadores do sol; nos subterrâneos, ficavam as jaulas dos animais e as galerias de acesso à arena.

– Espetáculos realizados:
• no circo, corridas de carros puxados por dois cavalos (bigas) ou por quatro cavalos (quadrigas), conduzidos por
cocheiros profissionais (aurigae);
• no anfiteatro, combates de gladiadores, lutas de animais selvagens, lutas de homens contra feras, caçadas (uenationes) e naumaquias (naumachiae) – isto é, batalhas navais.