Legislativas 2015

Varoufakis aconselha PS a não se comprometer com regras da zona euro

215

O ex-ministro das Finanças grego Yanis Varoufakis aconselhou o PS a não se comprometer com as regras da UE, por ser "impossível" não violar as mesmas.

PAULO NOVAIS/LUSA

O ex-ministro das Finanças grego Yanis Varoufakis aconselhou neste sábado o PS a não se comprometer com as regras da UE, por ser “impossível” não violar as mesmas.

O PS não se deve “comprometer com regras que sejam fundamentalmente irracionais”, devendo advogar, pelo contrário, por regras racionais e democráticas dentro da zona euro, sublinhou Yanis Varoufakis, que falava numa conferência de imprensa, posterior ao seu discurso na aula inaugural dos programas de doutoramento do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

“Há um debate dentro do PS sobre se deve haver uma aliança com partidos de esquerda. Alguns deputados estão prontos para que isso aconteça, mas desde que haja um acordo de que o Governo jogue pelas regras da zona euro e do Eurogrupo e manter-se fiel aos compromissos que Portugal tem na União Europeia. Esse é o problema. Os compromissos não se podem cumprir”, sublinhou o ex-ministro das Finanças grego.

Segundo o economista, as regras europeias não estão a resultar, porque nem Portugal, nem a Grécia, nem a Alemanha “consegue respeitar as regras. Se a zona euro quer ficar segura, temos de violar estas regras por acordo e criar novas regras nacionais”.

Yanis Varoufakis sublinhou que “Portugal não pode escapar a esta crise sozinho”, assim como os restantes países da zona euro.

“Teremos de ter uma conversa, que não temos tido, sobre como escapar a esta crise, ao invés de continuar a aplicar austeridade que continua a replicar a crise”, frisou.

Quanto a uma saída de Portugal ou da Grécia, o ex-ministro grego referiu que “há forças na Europa que querem encolher a zona euro”.

O ex-ministro das Finanças grego falava depois de ter proferido uma conferência intitulada “Democratização da zona euro”, que decorreu no auditório da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

O auditório foi demasiado pequeno (472 lugares sentados) para o público que se dirigiu à Faculdade de Direito para ouvir Varoufakis falar, com largas dezenas de pessoas de pé a assistir à conferência.

Varoufakis foi ministro das Finanças do primeiro governo de Alexis Tsipras e dirigiu as negociações com os credores até ao referendo de 05 de julho sobre a proposta de acordo apresentada pelas instituições (UE e FMI).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Pedro Passos Coelho

Quem tem medo de Passos Coelho?

Rui Ramos
1.960

Na história portuguesa, Passos Coelho foi o primeiro chefe de governo que, num ajustamento, não pôde dissimular os cortes com desvalorizações monetárias. Governou com a verdade. 

Filhos

Guarda conjunta em residência alternada /premium

Eduardo Sá

A recomendação de ser “regra” o regime de guarda conjunta com residência alternada, se mal gerida, pode trazer a muitas crianças uma regulação da responsabilidade parental mais populista do que justa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)