Ainda que não goste dos dias cinzentos, da chuva e do frio, sinto um certo desconforto neste novembro ameno. Estamos a uma semana do fim do mês 11 e ainda não liguei o aquecimento, só há poucos dias fui buscar a caixa da roupa de inverno e ainda não ouvi o crepitar das lareiras alheias. As castanhas assadas, que para mim são o símbolo do conforto em dias agrestes, ainda não puderam cumprir este efeito terapêutico. Não fossem as lojas estarem carregadas de vermelho e dourado e pensar-se-ia que o Natal estava ainda muito longe. Parece que falta qualquer coisa. Mas na verdade, o calendário não engana. E o cabaz que recebo semanalmente, composto por frutas e legumes de agricultores locais, diz-me que estamos mesmo a entrar no inverno: tem chegado penca e outras couves, espinafres, abóbora, maçãs e tangerinas.

As refeições fazem-se a partir destes pontos de partida e foi assim que nasceu este creme de abóbora e cenoura. Estas são assadas antes de serem transformadas na sopa, para um sabor mais rico.

Uma proposta para dar um salto até ao tempo em que as estações tinham uma personalidade forte e não se deixavam confundir.

creme_abobora_cenoura_viva

Creme de abóbora e cenoura assadas com bruschettas de cogumelos

Serve dois, como refeição leve

Para o creme de abóbora e cenouras assadas:

200 g de abóbora menina ou manteiga
200 g de cenoura
1/2 cebola roxa
2 dentes de alho
450 ml de água a ferver
Azeite qb
Sal qb
Pimenta preta qb
Tomilho seco qb
Leite de coco e pevides de abóbora para servir

Para as bruschettas:

4 fatias de pão de mistura
200 g de cogumelos marron
2 dentes de alho
1 fio de azeite
Sal e pimenta preta qb
Queijo-creme qb
Uma mão-cheia de rúcula

Ligue o forno nos 200º.
Descasque a abóbora e as cenouras e parta-as em pedaços.
Parta a cebola roxa em meias-luas e esmague os dentes de alho.
Coloque tudo num tabuleiro de ir ao forno e tempere com azeite, sal, pimenta preta e tomilho.
Leve ao forno durante cerca de 1 hora ou até a cenoura e a abóbora estarem bem macias.
Retire do forno e descarte as peles do alho. Coloque o alho, a cebola, a abóbora e a cenoura num tacho (ou num robot de cozinha) e junte a água a ferver. Mexa bem e deixe levantar fervura.
Triture tudo com a varinha mágica (ou com o robot).
Prove e retifique os temperos. Se achar que está muito espesso, junte mais água e deixe levantar fervura novamente.

Entretanto, prepare as bruschettas. Aproveite o calor do forno para tostar as fatias de pão.
Numa frigideira antiaderente salteie os cogumelos fatiados num fio de azeite com os alhos picados. Tempere com um pouco de sal e pimenta preta.
Barre as fatias de pão com queijo-creme e tempere com pimenta preta.
Disponha os cogumelos salteados e termine com a rúcula.

Quando servir, adicione ao creme um fio de leite de coco e polvilhe com sementes de abóbora (se a abóbora que usou tiver sementes, pode aproveitá-las tostando-as no forno — siga as indicações desta receita).

Teresa Rebelo é autora do blogue Lume Brando.