As seis pessoas que estavam em dificuldades no Parque da Peneda-Gerês, foram localizadas pelas autoridades e estão a receber assistência médica, disse hoje à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

O grupo foi localizado às 17:35 pelos bombeiros e pelo INEM num abrigo e nenhuma pessoa está em risco de vida, segundo o CDOS.

Quatro pessoas estavam em risco de hipotermia por causa das condições climatéricas adversas, e estão a ser estabilizadas para serem transportadas de ambulância para o hospital.

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Vila Real identificou este sábado um segundo grupo em dificuldades no Parque da Peneda-Gerês, estando seis pessoas num abrigo a aguardar a chegada dos bombeiros.

Num momento inicial o CDOS de Vila Real informou estarem perdidas duas pessoas nas Minas dos Carris mas, pelas 15:00, divulgou que a esse primeiro grupo, que afinal era de três pessoas, juntou-se um segundo, com outras três.

Ainda de acordo com o CDOS, das seis pessoas havia quatro em dificuldades e em risco de hipotermia por causa das condições climatéricas adversas.

Duas corporações de bombeiros foram acionadas para resgatar os dois grupos, que acabaram por se juntar no mesmo abrigo do Parque Nacional da Peneda-Gerês, mas pelas 15:00 ainda não tinham conseguido chegar ao local.

O alerta inicial terá sido dado pelos próprios pelas 13:20, momento a partir do qual o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) acionou os Bombeiros Voluntários de Salto, no concelho de Montalegre, distrito de Vila Real, e os Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro, no distrito de Braga.

De acordo com a mesma fonte do CDOS, a zona é de difícil acesso e requer bastantes cuidados.

Segundo a página da Junta de Freguesia de Cabril, em Montalegre, as “Minas dos Carris encontram-se a uma altitude aproximada de 1508 metros e o complexo mineiro é composto atualmente por uma série de ruínas nas quais é possível rever a história da exploração do volfrâmio em Portugal”.

“Por se localizarem numa zona protegida, a sua visita requer sempre um especial cuidado com o frágil ambiente envolvente. O acesso tem de ser feito obrigatoriamente a pé e necessita de um cuidado prévio especial a nível de preparação”, acrescenta a mesma página.

Artigo atualizado às 18h00