A entrada em vigor do acordo nuclear assinado entre Teerão e as grandes potências mundiais deverá ocorrer, o mais tardar, no próximo domingo, anunciou um dos principais mediadores iranianos, citado pela agência oficial iraniana IRNA.

“A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) deverá apresentar sexta-feira o relatório (final)” para confirmar que o Irão cumpriu as premissas do acordo, afirmou Abbas Araghchi, salientando que a entrada em vigor poderá acontecer “sexta-feira, sábado ou domingo, o mais tardar”.

A AIEA, porém, ainda não confirmou o anúncio das autoridades iranianas.

Araghchi precisou que, também sexta-feira, será publicado um “comunicado conjunto” assinado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif, e pela chefe da diplomacia da União Europeia (UEE), Federica Mogherino, esta em nome do “Grupo 5+1” (China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia, mais a Alemanha), para confirmar oficialmente o dia de entrada em vigor do acordo.

O chefe da diplomacia do Irão indicou também que está a ser preparada uma cerimónia que poderá contar com a presença dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos sete países, sem, porém, divulgar onde decorrerá.

O acordo foi concluído em julho de 2015 e visa limitar o controverso programa nuclear iraniano em troca de um levantamento progressivos e controlado das sanções internacionais impostas a Teerão.

No quadro do acordo, Teerão já reduziu o número das suas centrifugadoras e enviou para o estrangeiro a quase totalidade do seu “stock” de urânio levemente enriquecido.

O Irão deverá ainda retirar nos próximos dias o “coração” do reator de águas pesadas em Arak, (280 quilómetros a sudeste de Teerão e capital da província de Markazi), outra das medidas necessárias para a entrada do acordo em vigor.

Um responsável nuclear iraniano, citado pela agência AFP, anunciou terça-feira que estão em curso no país várias missões de inspetores da AIEA para verificar, no terreno, as operações exigidas no acordo.