A maioria dos espanhóis não quer a repetição das eleições legislativas para resolver o impasse político na formação do novo governo. Uma sondagem, publicada este domingo no El Pais, mostra que 61% dos inquiridos defende um cenário de entendimento entre os partidos que viabilize um novo executivo.

A mesma sondagem revela que só 33% gostaria de votar novamente e entre estes destacam-se os apoiantes do Podemos, partido de esquerda que ficou em terceiro lugar nas eleições em dezembro passado.

Segundo o inquérito realizado pela Metroscopia, novas eleições não iriam trazer resultados clarificadores ao cenário político espanhol, com o PP a manter a liderança nas intenções de voto, mas sem conseguir a maioria. As principais mexidas poderiam acontecer no segundo lugar com o Podemos ultrapassar o PSOE por uma margem escassa (menos de 2 pontos percentuais). Também o Ciudadanos sairia reforçado, ganhando mais quase 3 pontos percentuais.

As opiniões foram recolhidas entre os dias 12 e 14 de janeiro, quando já eram muito evidentes as grandes dificuldades das forças políticas espanholas em chegarem a um entendimento, não obstante esse parece ser o caminho indicado pelos espanhóis nesta sondagem.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os resultados de 20 de dezembro trouxeram uma mudança fundamental ao sistema político espanhol com o fim do bi-partidarismo que domina os 40 anos de democracia. O PP, que estava no governo, ganhou mas com apenas 28,7% dos votos, mas muito distante de uma maioria, um cenário que faz lembrar os resultados eleitorais em Portugal.

Os eleitores dividiram-se em quatro blocos que pouco mudariam em novo ato eleitoral. O Podemos poderia ultrapassar ligeiramente o PSOE, com 22,5% dos votos, enquanto que o Cuidadanos deveria aumentar a sua votação de 13,9% para 16,6%.