Festivais

Toma lá um chocolatinho (ou vários), Lisboa

771

Entre 4 e 7 de fevereiro, a Praça de Touros do Campo Pequeno volta a encher-se de cacau. Não, não se trata de uma reunião tipo Bilderberg mas sim de mais uma edição do festival O Chocolate em Lisboa.

Os chocolates produzidos no resort Penha Longa vão marcar presença no festival.

DR

Chocolate no Campo Pequeno? Que tourada vem a ser esta?
Razoável, esse trocadilho. Acho que é capaz de melhor. Respondendo: é o festival O Chocolate em Lisboa, que pelo terceiro ano consecutivo aterra na afamada praça de touros da capital, para gáudio de uma afición mais gulosa e menos sanguinária.

Mas aterra como assim?
Não aterra literalmente, se bem que seria, no mínimo, curioso ver estruturas gigantes de chocolate a pousar na dita arena. Aterra na medida em que o recinto é ocupado por 80 expositores e mais de 200 marcas de chocolate, a mostrar o que de melhor se faz nessa matéria cá dentro e lá fora.

Lá fora também?
Não duvide. Aliás, um dos grandes atrativos do evento é o país produtor convidado, o Peru.

O Peru? Nunca ouvi falar de chocolate peruano…
Faz mal. O cacau que se cultiva por lá é de incrível qualidade — incluindo espécies raras que se pensavam estar extintas — e vem de outros tempos: há uma ligação ancestral, que remonta aos Incas, à cultura do produto.

Não fazia ideia. Vou poder provar chocolate do Peru, então?
Chegam-lhe 280kg de chocolate? É a quantidade do produto que vai estar no chamado Palco Inca. Mas não é só.

xocolatl23

As criações da XOCOLATL, a marca peruana da chef pasteleira Giovanna Maggiolo, convidada do festival. (foto: DR)

Há mais?
Nem faz ideia: um imperador Inca de 1,70m de altura vai ser esculpido ao vivo pelo mestre chocolatier Paulo Santos, várias réplicas de artefactos da época serão reproduzidos em chocolate e um enorme painel de azulejos de chocolate com uma ilustração de Machu Picchu ajudará a compor o ramalhete. No meio de tudo isto ainda haverá tempo (e espaço) para Giovanna Maggiolo, uma peruana especialista na matéria, demonstrar algumas receitas tipicamente peruanas que usam, lá está, chocolate.

Receitas peruanas com chocolate…não sei se gosto. E portuguesas?
Se está à espera de encontrar uns pezinhos de coentrada marinados em cacau não vai ter sorte. Mas pode, por exemplo, encontrar ovos moles de chocolate da Pastelaria Latina, de Aveiro. Além disso, pelo palco Teka vão passar diversos chefs, que irão demonstrar como se pode utilizar o chocolate em diversos contextos.

psda nvod

Um dos homens-estátua da última edição do festival. A atração vai repetir-se. (foto: DR)

Que agradável, gosto sempre de aprender qualquer coisa.
Ai é? Então fixe, já agora, o horário dos workshops gratuitos, que decorrem todos no sábado, dia 6. Às 14h, pode aprender a fazer esparguete de chocolate negro, cortesia da Kuuk. Às 15h30, Odete Estêvão, presidente do Cacau Clube de Portugal vai falar sobre “O Chocolate Pelo Mundo”. Às 17h, o nutricionista Alexandre Fernandes desvenda os mistérios da “Dieta do Chocolate”. Às 18h30, o crítico Fernando Melo, da Revista de Vinhos e da Evasões, disserta sobre a harmonização de colheitas tardias com os vários tipos de chocolate e uma hora e meia depois, às 20h, o assunto é massagens com chocolate e o orador António Soares Neto, das Clínicas em Forma.

Preciso de me inscrever com antecedência nos workshops?
Convém, para assegurar à partida o lugar. O email de contacto é este: workshopsochocolateemlisboa@gmail.com

Já percebi que há muito para aprender, portanto. E para comer?
Há ainda mais. Como já disse são 80 expositores e mais de 200 marcas portuguesas e estrangeiras. É impossível listar aqui todos os presentes, mas pode dizer-se que vai estar a nata da nata. Perdão, do chocolate.

Percebo. Pode destacar alguém?
Assim de repente, os mestres António Marques da DeNegro, Odete Estevão, Leonor Ranito da ANNOBON ou Rui Costa da Marbela. Mas também os incríveis éclairs da L’Eclair, os brigadeiros da Quartin, as criações da Le Lautrec ou a extensa oferta de Nutella da Nut’. Sem esquecer marcas como a Valrhona, a Leonidas, a Equador ou a Artisan du Chocolat, entre muitas outras. A variedade de oferta é assinalável.

eclari13

Os éclairs da L’Éclair não faltarão à festa. (foto: João Mota)

Quão assinalável?
Para conseguir enumerar tudo o que vai poder comer por lá é preciso inspirar fundo. Já inspirou? Agora leia, sem respirar: tabletes, bombons, brigadeiros, trufas, macarons, éclairs, pastelaria fina, brownies, crepes, frutos secos, gelados, bolos…pode expirar.

Ufa. Não estava fácil. E beber?
Não está esquecido. Há chocolate quente, claro, mas também se vão fazer harmonizações com vinhos, chás e gins.

Bonito. Acho que estou convencido.
Então veja os detalhes em baixo e boas chocolatadas.

O quê? Chocolate em Lisboa
Quando? De 4 a 7 de fevereiro, das 10h30 às 21h30. No último dia o recinto encerra às 21h.
Onde? Na Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa.
Quanto? Até aos 5 anos a entrada é gratuita. Dos 6 aos 11 anos custa 1€ e a partir dos 12 anos custa 3,50€.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)