António Guterres e Luís Marques Mendes aceitaram o convite de Marcelo Rebelo de Sousa e vão passar a ter lugar no Conselho de Estado. E estes não são os únicos nomes a preencherem a “quota” de nomeação direta do Presidente da República: além do candidato a secretário-geral das Nações Unidas e do ex-líder social-democrata, também Leonor Beleza, ex-ministra da Saúde de Cavaco Silva, e António Lobo Xavier, ex-dirigente do CDS, vão fazer parte do órgão político de consulta do Chefe de Estado.

A notícia começou por ser avançada pela TSF e foi, entretanto, confirmada pelo Observador. Marques Mendes e Leonor Beleza já faziam parte do Conselho de Estado de Aníbal Cavaco Silva e os dois mantêm-se no cargo, agora por indicação de Marcelo Rebelo de Sousa – o Presidente da República tem direito a nomear diretamente cinco conselheiros.

Além de Guterres, Mendes, Leonor Beleza e Lobo Xavier, também Eduardo Lourenço – professor e filósofo – já foi confirmado como próximo conselheiro de Estado.

O Conselho de Estado é composto atualmente por 19 membros. Nove ocupam o cargo por inerência – o Presidente da Assembleia da República, o primeiro-ministro, os ex-Presidentes da República, os presidentes dos Governos Regionais, o presidente do Tribunal Constitucional e o provedor de Justiça. Os restantes dez membros são nomeados pelo Presidente da República e pelo Parlamento, que têm direito a indicar cinco nomes cada um, como explicava aqui o Observador.

Os cinco agora escolhidos por Marcelo Rebelo de Sousa vão juntar-se a Domingos Abrantes (PCP), Francisco Louçã (BE), Carlos César (PS), Francisco Pinto Balsemão (PSD) e Adriano Moreira (CDS).