País

Conselho das Escolas está contra o novo modelo de avaliação dos alunos

1.170

Parecer encomendado pelo Ministério mostra que, ao contrário do que dizia Tiago Brandão Rodrigues, os diretores de escolas não estão de acordo com o novo modelo de avaliação dos alunos.

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

Os diretores escolares que compõem o órgão consultivo Conselho das Escolas (CE) mostram-se críticos em relação ao novo modelo de avaliação dos alunos proposto por Tiago Brandão Rodrigues. Ao contrário do que dizia o ministro, estes conselheiros não estão em sintonia com as novas regras e querem a continuação do exame do 6º ano e recomendam provas de aferição só nos 4º e 9º anos. A notícia faz a manchete do Diário de Notícias esta quinta-feira.

Carecem de clarificação e explicitação os desígnios e as vantagens para os alunos, para o sistema educativo e para a Educação em geral, decorrentes do projeto de alterações em apreciação.

Segundo o Diário de Notícias, que teve acesso a um parecer encomendado pelo Ministério e aprovado na quarta-feira, os diretores escolares não só mostram reservas em relação às mudanças como, além disso, estão contra a aplicação das novas regras já este ano

Em defesa da “estabilidade” como algo que “acrescenta valor ao sistema educativo”, os diretores consideram “desejável” que se mantenham as provas de finais de ciclo no 6º e no 9º anos, já que estes “introduzem maior exigência no sistema educativo, mobilizam e corresponsabilizam todos os agentes escolares”. Além disso, devem manter-se, também, as provas de aferição feitas no 4º e no 8º anos, já que, entre outros benefícios, estes ajudam a detetar casos que podem carecer de uma “intervenção atempada“.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Política

Salazar /premium

Helena Matos

Os actuais líderes não têm discurso, têm sim objectivos: manter-se ou chegar ao poder, através da popularidade e não da política. Logo precisam do passado e de Salazar para falarem de política.

PSD

Ao centro, o PSD não ganhará eleições /premium

João Marques de Almeida

Rio, que não perde uma ocasião para evocar Sá Carneiro, não aprendeu a sua principal lição: o PSD só chega ao poder quando lidera uma alternativa aos socialistas. Não basta esperar pelo fracasso do PS

Futebol

Sobre o futuro próximo de José Mourinho

António Bento

No frio e previsivelmente longo Inverno de 2018-2019 a pele de José Mourinho não é boa de se vestir, como se vê por uma parte significativa das suas declarações à imprensa desde que foi despedido.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)