O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, declarou hoje que as sanções impostas à Rússia pela crise ucraniana devem manter-se até ser necessário, enquanto alguns países europeus advogam o seu levantamento.

“Estou confiante em que a Europa e os Estados Unidos continuem unidos tanto para a manutenção das sanções enquanto for necessário como para conceder assistência necessária à Ucrânia”, afirmou Kerry na Conferência sobre Segurança em Munique, no sul da Alemanha.

Para o secretário de Estado norte-americano, “as sanções não são um fim em si mesmas”.

Contudo, lembrou que foram impostas “em primeiro lugar para defender os direitos fundamentais da Ucrânia — a sua soberania e integridade territorial”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A França manifestou no final de janeiro que pretende o levantamento, “no próximo verão”, das sanções impostas pelo Ocidente à Rússia, devido à crise ucraniana.

A União Europeia decretou sanções económicas contra a Rússia devido à anexação da Crimeia, em março de 2014, e ao seu presumível papel no conflito com os separatistas do leste da Ucrânia, que fez mais de 9.000 mortes.