Joaquin “El Chapo” Guzman, que foi recapturado em janeiro, pediu para ser extraditado para os Estados Unidos da América para ter melhores condições dentro da prisão. Está neste momento na prisão de El Altiplano, a 90 quilómetros da Cidade do México.

O advogado de Guzman, Jose Refugio Rodriguez, tinha aconselhado a que parasse de pedir a extradição pois assim os guardas da prisão nunca mais o deixariam dormir em paz – o detido é acordado e controlado a cada quatro horas -, mas El Chapo pediu ao advogado que negociasse uma pena mais leve e a colocação numa prisão de segurança média. Dois tribunais americanos já haviam pedido a extradição do mexicano por uma acusação de tráfico de droga, na Califórnia, e outra por homicídio no estado do Texas.

Aquele que foi considerado o maior traficante de droga do mundo conseguiu fugir da prisão em julho do ano passado por um túnel de 1,5 quilómetros e esteve fugido durante seis meses. Foi capturado em janeiro e colocado na mesma prisão mas com um regime muito mais rígido. O advogado revelou que o seu cliente está numa cela isolada e muito pequena em que não vê o sol. Anteriormente, podia falar com o seu advogado durante uma hora e meia e mais uma hora no pátio da prisão. Tinha ainda direito a uma visita familiar, durante quatro horas, de nove em nove dias.

Segundo Rodriguez, o processo de extradição para os EUA poderá levar no mínimo dois meses.