O vice-chanceler da Alemanha, Sigmar Gabriel, afirmou, este domingo, que o magnata Donald Trump, favorito do Partido Republicano na corrida para a presidência norte-americana, representa uma ameaça para a paz, a coesão social e a prosperidade.

Sigmar Gabriel classificou Donald Trump de “populista de direita” que, como Marine Le Pen, na França, e Geert Wilders, na Holanda, prometem aos eleitores preocupados com a globalização o retorno a um protegido “mundo de conto de fadas”.

“Donald Trump, Marine Le Pen ou Geert Wilders – todos populistas de direita – não são apenas uma ameaça à paz e à coesão social, mas também ao desenvolvimento económico”, afirmou Sigmar Gabriel, em declarações ao jornal Welt am Sonntag.

“Os populistas de direita prometem aos seus seguidores o retorno a um mundo de conto de fadas onde a atividade económica só acontece dentro das suas fronteiras”, adiantou o também ministro da Economia e vice-chanceler de Angela Merkel. Contudo, sublinhou Sigmar Gabriel, a economia dos países não prospera num isolamento autoimposto.

“Nós temos que fazer um esforço para explicar como queremos moldar a globalização de uma forma justa”, defendeu.

Questionada numa outra entrevista pelo jornal Bild sobre Donald Trump, a chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou apenas que não o conhece pessoalmente.

Instada a comentar as duras críticas de Donald Trump às políticas de acolhimento de refugiados, que descreveu como “insanas”, Angela Merkel disse não ver razões para responder a esta questão.

No entanto, a chanceler alemã elogiou a candidata presidencial à nomeação pelo Partido Democrata Hillary Clinton: “aprecio a sua vasta experiência política, o seu compromisso com os direitos das mulheres e proteção da família e saúde.”

“Aprecio o seu pensamento estratégico e o facto de ser uma forte apoiante da parceria transatlântica”, acrescentou Angela Merkel sobre a ex-secretária de Estado dos EUA.

A chanceler disse ainda que tem trabalhado sempre “com grande prazer” com Hillary Clinton.