As autoridades aeronáuticas de Moçambique entregaram, esta segunda-feira em Maputo, a um grupo de peritos malaios uma peça encontrada a sul de Moçambique, que pode pertencer ao avião da Malaysia Airlines desaparecido há dois anos. O presidente do Instituto de Aviação Civil de Moçambique (IACM) disse à Lusa que a peça, encontrada por um turista norte-americano há uma semana na zona de Vilanculos, província de Inhambane, vai seguir agora para análises na Austrália.

“Ainda é prematuro estabelecer uma ligação entre a peça e o avião desaparecido, mas há fortes probabilidades de pertencer àquela aeronave”, comentou João Abreu, referindo-se ao Boeing 777 que desapareceu a 8 de março de 2014, quando fazia a rota entre Kuala Lumpur e Pequim com 239 pessoas a bordo.

A peça foi entregue esta manhã aos três peritos, que representam a autoridade de aviação civil da Malária, a companhia aérea e a entidade de investigação ao desaparecimento do voo MH370.

“Logo que chegarem a alguma conclusão, seremos informados”, acrescentou o presidente do IACM, que esteve hoje reunido quatro horas com os três enviados da Malásia.

O objeto, encontrado no banco de areia de Palumo, contém uma inscrição (“no step”), sugerindo tratar-se de uma parte de um estabilizador horizontal da cauda de uma aeronave.

Em julho de 2015, um fragmento de uma asa de avião foi encontrado na Reunião, a leste de Madagáscar, o único vestígio confirmado do avião da Malaysia Airlines descoberto até ao momento.

Em declarações anteriores à Lusa, o presidente do IACM considerou não fazer sentido iniciar buscas por mais vestígios na costa de Moçambique, “sem informações exatas sobre aquela peça”.

Uma associação de familiares dos passageiros desaparecidos no voo MH370 pediu na quinta-feira que sejam iniciadas buscas exaustivas na costa da África oriental, depois da descoberta em Moçambique.

Na terça-feira cumprem-se dois anos exatos desde o desaparecimento do voo MH370, que, a 08 de março de 2014, se desviou da rota por razões desconhecidas.

Os investigadores acreditam que o avião se dirigiu para a zona sudeste do oceano Índico, onde terá caído. O local do acidente nunca foi identificado.