As autoridades mexicanas transferiram o narcotraficante Joaquín Guzmán, “El Chapo”, para aquela que é considerada pelas autoridades dos direitos humanos como a pior prisão do sistema penitencial federal do México.

O Centro Federal de Readaptação Social foi classificado com 6,63 numa escala de 0 a 10, a classificação mais baixa de todas as 21 prisões federais do país.

A prisão de segurança-máxima em Altiplano, de onde “El Chapo” foi transferido, tinha uma classificação de 7,32.

O Centro Federal de Readaptação Social foi bem classificado relativamente às “condições de governabilidade” e, segundo a Associated Press, terá sido esta uma das razões para a transferência do traficante que já fugiu três vezes de prisões onde esteve detido.

Segundo as autoridades mexicanas, a transferência de prisioneiros entre diferentes prisões é uma prática comum, por questões de segurança. Esta transferência pode ainda estar ligada com o historial de evasão prisional do “El Chapo”. Ao mudarem o preso de instituição, poderão ser capazes de controlar as tentativas de fuga.

Guzmán espera não ser extraditado para os Estados Unidos, onde é acusado de tráfico de droga em várias jurisdições.