As rivalidades entre países vizinhos são comuns e revelam-se de múltiplas maneiras: em competições desportivas, em conflitos ou numa simples troca acesa de comentários. Foi precisamente isso que aconteceu entre a Dinamarca e a Suécia, que entraram em guerra aberta no Twitter. Os argumentos vão desde a extensão territorial a alces e até a qualidade do esperma. O melhor mesmo é ver.

Quem lançou a primeira dica foi a Dinamarca, mas a Suécia respondeu à letra:

No tweet lê-se: “Apenas uma das muitas coisas que os dinamarqueses e suecos têm em comum”.

Ao que os suecos responderam que “outra coisa que não temos em comum é que os nossos lagos são do tamanho do vosso país”.

Os dinamarqueses retorquiram dizendo: “Sabiam que tudo o que não é proibido na Suécia é obrigatório?”

Apesar de partilharem a mesma origem, já que são ambas línguas nórdicas orientais, as diferenças fonéticas foram também razão para gozo:

Os dinamarqueses referiram que mais de metade dos suecos concordaram que a Dinamarca podia ficar com Skåne (uma região da Suécia).

A Suécia defendeu-se com um meme que alude ao sotaque dinamarquês. “Não tenho a certeza se eles está a falar dinamarquês ou se se está a engasgar”.

A Dinamarca respondeu dizendo que “eles nem se percebem uns aos outros”, remetendo para uma notícia que conta que a polícia sueca achava que um homem que tinha o carro preso na neve tinha um sotaque arrastado porque era dinamarquês, mas acabou por perceber que ele era sueco e arrastava as palavras porque estava bêbedo.

A Suécia respondeu dizendo que a vantagem era que no dia seguinte estariam sóbrios enquanto os dinamarqueses continuariam a arrastar as palavras.

Os países também disputaram qual é o mais hospitaleiro:

“A Suécia tem muito amor, até pelos dinamarqueses. Especialmente aqueles que não se conseguem casar e procuram refúgio na Suécia”.

A Dinamarca alegou ser igualmente hospitaleira, partilhando um artigo que conta a história de um alce que foi a nado da Suécia até ao país vizinho. A presença do alce provocou um grande alarido na Dinamarca, que não sabia como lidar com um animal para eles estranho. O animal acabou por morrer.

Naturalmente, a Suécia notou que a Dinamarca nem de um alce consegue cuidar. E indagou por isso, se conseguiria lidar com a população de 400.000 alces que habitam a Suécia. A Dinamarca explicou que o problema fora o alce não conseguir lidar com tantas infraestruturas modernas.

Até que a Suécia mencionou que a fertilidade da Dinamarca era muito baixa…

E a Dinamarca rematou com um artigo que diz que as mulheres de todo o mundo procuram o esperma dinamarquês porque querem ter bebés Viking.

E voltou a disputa territorial: A Suécia “picou” a Dinamarca quando perguntou qual era o pico mais alto do país e notou que a Dinamarca não tem montanhas ou colinas suficientes para formar um top 10. A Dinamarca respondeu dizendo que enquanto os suecos se sentam-se no topo de uma colina, os dinamarqueses desfrutam de uma das muitas praias do país.

A Suécia respondeu dizendo que não precisava de tantas praias, já que tem 267.570 ilhas.

E claro que os dinamarqueses tentaram defender uma das suas grandes invenções – o Lego. Partilharam um artigo que dizia que os pais de uma criança sueca decidiram chamar-lhe Lego. A Suécia minimizou a invenção dinamarquesa dizendo que o país perdeu todas as grandes guerras em 400 anos e que só, por vingança, criaram os Legos.