Robert Capa captou os momentos mais marcantes da Guerra Civil espanhola, desde os traficantes de armas até às vítimas do conflito. Depois, viajou até aos Estados Unidos, onde se refugiou com a atriz sueca Ingrid Bergman,

O Círculo de Belas Artes de Madrid vai receber uma exposição com fotografias de Robert Capa. Este fotojornalista de guerra húngaro recebeu um trabalho de surpresa que fez com que perdesse a vida em 1954. Momentos antes, conseguiu ainda fazer uma fotografia sobre a Guerra da Indochina.

Robert Capa envelhecia à medida que fotografava mais uma guerra. “A guerra é como uma atriz que envelhece. Cada vez é menos fotogénica e mais perigosa”, afirmou. O El Mundo escreveu que havia pessoas que achavam que, na Indochina, Capa já não era o mesmo que fotografou a Segunda Guerra Mundial.

Quando estava no Japão, Capa recebeu uma chamada de Ray Mackland, editor de Life. O editor da revista tinha ficado sem o seu fotógrafo de serviço e precisava que alguém fosse em trabalho para o conflito na Indochina. O editor oferecia uma grande quantia em dinheiro como contrapartida pelo trabalho de Capa, que duraria duas semanas, e o fotógrafo acabou por aceitar.

Foi com esta decisão que tirou o passaporte para a morte. Uma dia, ouviu uma grande explosão e correu atrás do fumo. Pisou uma mina e acabou por falecer. Antes de morrer, conseguiu captar este último momento.

O exército francês atribui-lhe uma “Croix de Guerre” pelo seu trabalho. Robert Capa também recebeu uma medalha de outro pelo seu mérito profissional.