Rádio Observador

Fidel Castro

Eduardo Cabrita representa Portugal em cerimónia de homenagem a Fidel Castro

O ministro adjunto Eduardo Cabrita irá representar Portugal na cerimónia fúnebre de homenagem ao líder histórico cubano Fidel Castro, agendada para terça-feira em Havana.

Cuba decretou nove dias de luto nacional pelo óbito de Fidel Castro

MIGUEL GUTIERREZ/EPA

O ministro adjunto Eduardo Cabrita irá representar Portugal na cerimónia fúnebre de homenagem ao líder histórico cubano Fidel Castro, que morreu na noite de sexta-feira, agendada para terça-feira em Havana, foi esta segunda-feira divulgado.

A deslocação de Eduardo Cabrita à capital cubana em representação do Estado português foi anunciada numa nota enviada às redações pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros. A cerimónia de terça-feira, que vai decorrer na Praça da Revolução em Havana, insere-se num programa definido pelo Conselho de Estado cubano que prevê várias homenagens ao líder histórico.

Albano Nunes, membro do secretariado do Comité Central do Partido Comunista Português (PCP) e responsável pelas Relações Internacionais no partido, também estará presente nesta cerimónia, foi divulgado esta segunda-feira pela força partidária.

Cuba decretou nove dias de luto nacional pelo óbito de Fidel Castro. Através de um breve comunicado, o Conselho de Estado cubano decretou “nove dias de luto nacional”, até ao dia 04 de dezembro, domingo”, acrescentando que “todas as atividades e espetáculos públicos” serão interrompidos.

As cerimónias fúnebres vão realizar-se em Santiago de Cuba, no sul do país, no dia 04 de dezembro. Durante a semana vão realizar-se diversas homenagens em Cuba e uma procissão com as cinzas do ex-presidente cubano vai atravessar o país ao longo de quatro dias.

O histórico líder cubano, Fidel Castro, morreu na noite de sexta-feira, 25 de novembro, aos 90 anos. Fidel Alejandro Castro Ruz nasceu a 13 de agosto de 1926, em Birán, uma pequena localidade do município cubano de Mayari, no seio de uma família de origens galegas.

Após um longo e conturbado período como opositor do regime de Fulgêncio Batista (um então aliado dos Estados Unidos), o guerrilheiro Fidel Castro, que frequentou Direito na Universidade de Havana, e o seu companheiro de luta Che Guevara chegavam a 01 de janeiro de 1959 a Havana e a Revolução Cubana fazia a sua entrada na História.

Fidel Castro assumiu o poder na ilha e tornou-se numa das figuras mais carismáticas, mas também das mais controversas, da História política do século XX.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)