Pedro Madeira Rodrigues é o mais recente candidato e único adversário, até à data, do atual presidente do Sporting, Bruno de Carvalho. Certamente Madeira Rodrigues, que esteve nas listas de outros presidentes em eleições anteriores, era um mero desconhecido. No entanto, o candidato à presidência dos leões já deu que falar e por motivos distantes do futebol. O caso remonta a 2013, quando o antigo secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, participou no debate “Coadoção” do programa da RTP1 Fátima Campos Ferreira. O debate debruçava-se sobre a adoção por parte de casais do mesmo sexo.

Da plateia, Madeira Rodrigues, pediu a palavra para dar o seu testemunho sobre o tema e começou por contar que ele e a mulher já tinham adotado uma criança, além dos três filhos biológicos que já tinham na altura. Além do processo de adoção, o candidato à presidência do Sporting confessou que desde cedo o filho sabe que é adotado e que antes de ir para o programa teve um conversa com o filho.

Madeira Rodrigues contou como conversou com o filho: “Diogo, hoje vou à televisão e vou falar sobre o tema da adoção. Ele já sabe que é adotado, desde os cinco anos. Vamos falar sobre esse tema por que, ao que parece, a partir de agora, foi votada uma lei que pode haver dois pais e duas mães.”

O rapaz terá perguntado “como assim, dois pais e duas mães?”, Madeira Rodrigues respondeu, que “dois homens como o pai ou duas mulheres como a mãe”. O filho terá dito: “Mas isso é uma estupidez pai, não faz qualquer sentido”.

Depois de ter contado o episódio familiar, Madeira Rodrigues prosseguiu com um outro episódio vivido durante o processo de adoção. O tema foi a discriminação, algo muito comentado e sentido neste tipo de casos. O agora candidato à presidência do clube de Alvalade, afirmou que discriminação foi o que aconteceu a uma pessoa que também estava a tentar adotar o rapaz. Segundo Madeira Rodrigues a pessoa em causa ficou desempregada a meio do processo de adoção e por causa disso não pode continuar. Para o candidato à presidência do Sporting isso sim foi uma forma de discriminação.

Veja em baixo a participação de Pedro Madeira Rodrigues no programa: