Os automóveis estão cada vez mais sofisticados, mas não só o recurso a mais tecnologia não é necessariamente sinónimo de segurança adicional, pelo menos em relação ao roubo, como os ladrões estão cada vez mais sofisticados e conseguem acompanhar – e em alguns casos anular – alguns dos mais recentes dispositivos destinados a impedir os amigos do alheio de levar consigo veículos que não lhes pertencem.

Vem isto a propósito de um vídeo publicado por um conjunto de especialistas russos, que se predispuseram a vestir a pele de vulgares ladrões, com a finalidade de provar que certos veículos de luxo, que custam os olhos da cara aos seus proprietários, na realidade podem desaparecer numa questão de segundos. Cerca de 60, para sermos mais precisos.

Sem recorrer a um equipamento muito sofisticado, aos russos bastam uns míseros segundos e um berbequim para entrar dentro de um BMW topo de gama, no caso um X6. Depois e com recurso a mais uns gadgets, modificam o emissor de código que existe na chave, para o toque final ser dado por uma espécie de clip, que ultrapassa a última linha de defesa do X6, permitindo que o seu motor seja posto em funcionamento. A partir daí, é adeus BMW. E, em apenas 60 segundos, desaparecem 60 a 100 mil euros de automóvel.

A publicação deste vídeo tem como finalidade alertar os condutores para a facilidade com que os seus veículos podem ser roubados, mas não só. O objectivo é também levar os proprietários a considerar recorrer a sistemas complementares de segurança, desde alarmes complexos às eternas trancas volante/pedal, para dificultar a tarefa dos que querem chamar seu a um carro que não lhes pertence.

Por outro lado, a divulgação deste vídeo levanta, pelo menos, duas questões. Numa altura que se constroem automóveis que já nem necessitam de condutores, será assim tão difícil para as marcas conceber um que dê mais luta aos ladrões? E se o roubo prejudicasse a marca, neste caso a BMW, em vez do proprietário, será que continuaria a ser tão fácil ao criminoso levar um X6 para casa?