Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Todos os anos são “milhões de sugestões” que chegam à equipa responsável pela criação dos doodles, apelidados de doodlers. Quem o diz é Bryan Murray, engenheiro informático da equipa responsável pela criação dos doodles e Nate Swineheart, designer e animador na equipa. Eles explicaram ao Observador como será este doodle em formato de jogo, criado especialmente para o Dia dos Namorados, em parceria com a World Wild Life.

Resumidamente, o doodle para o dia de São Valentim é um jogo em que dois pangolins mantêm uma relação à distância através da troca de cartas. No dia 14 de fevereiro decidem encontrar-se mas, a fim de proporcionar um encontro perfeito, o pangolim macho inicia uma viagem por várias zonas do mundo à procura daquele que poderá ser o encontro perfeito para o Dia dos Namorados. “Queríamos conseguir entreter o utilizador mas dar algum destaque a uma causa, a dos pangolim, que são o mamífero mais traficado do mundo” explica Nate Swineheart. Este foi o animal escolhido graças à sua história e, também, “porque é um animal capaz de saltar e nadar e que é pouco conhecido”, acrescenta.

O jogo está dividido em quatro níveis (e regiões do mundo: Gana, Índia, China e Filipinas) e vai “englobar vários tipos de relações para que todos se possam sentir incluídos na história” explica Nate Swineheart, que acredita que é possível criar um encontro perfeito. Já Brian Murray admite não acreditar em encontros perfeitos. “O importante é tentar. Não importa se as coisas correm mal, no final tudo ficará bem“, explica o designer dando, indiretamente, uma pista de como a história vai terminar.

Quando questionados sobre os objetivos deste doodle que envolve uma causa e, em simultâneo, uma comemoração popular, Murray explica que queriam:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

  • “Educar o utilizador acerca do animal em questão”
  • “Ajudar a acabar com o tráfico do pangolim”
  • “Esclarecer que existem vários tipos de relações e que o encontro perfeito depende muito do tipo de relação de cada um”

Uma dúvida que surgiu durante o processo de criação foi referente à inclusão de alguma tecnologia. No final, optaram por seguir o tradicional e utilizar cartas em vez de SMS ou semelhante. “Essa é uma boa interpretação da história [risos]”, diz Swineheart quando foi feita a comparação da história de amor dos pangolins com os tempos atuais, em que existe uma tendência para manter relações à distância através de mensagens e chamadas, concordando que “sim, esse é um cenário que se pode considerar cada vez mais frequente e que, de certa forma, acaba por estar retratado nesta história”. “Claro que esta história não é um encontro perfeito“, acrescenta Brian, “mas isso não importa”.

Como é criar um doodle?

A equipa responsável pelas imagens que, por vezes, substituem o logótipo da Google na página inicial, é constituída por cerca de 25 pessoas, sendo que 12 são artistas e 10 são engenheiros. É uma equipa surpreendentemente pequena, comparativamente com o impacto, fama e número de visualizações (o domínio google.com é o mais visitado do mundo, seguido do YouTube e do Facebook).

Existem alguns doodles que são estáticos enquanto que outros são animações, acrescentando ainda à lista aqueles que, tal como o de São Valentim de 2017, são jogos. “Fazer uma animação e um jogo são processos muito complicados”, diz Swineheart “quando são animações e jogos podem demorar até cinco meses até estar tudo pronto. No caso das imagens estáticas demoras apenas algumas semanas“. Normalmente, estão em desenvolvimento cinco doodles diferentes ao mesmo tempo.

Então e como é que decidem qual é o tipo de doodle para cada dia que querem marcar? Esta é uma dúvida que não tem uma resposta concreta. “Durante a reunião decidimos quais as datas a marcar e o que poderá funcionar para esse dia. Depois depende das ideias que surjam” explicou ao Observador Nate Swineheart. “É uma questão de analisar as ideias, testar algumas e ajustar o trabalho consoante as que funcionarem melhor” acrescenta o designer.

O doodle do Dia dos Namorados já pode ser visto e jogado, em smartphone, a partir deste sábado, dia 11 de fevereiro, enquanto que a versão para desktop será tornada publica na próxima segunda-feira, dia 13 de fevereiro. Uma história de amor divertida e que, espera-se, seja capaz de sensibilizar consciências para a ameaça que paira sobre os pequenos mamíferos.