Com os mini monovolumes a perderem terreno entre os consumidores europeus, a Citroën apresentou, no Salão Automóvel de Genebra, o protótipo daquele que poderá vir a ser não só o sucessor do conhecido C3 Picasso, mas também o futuro rival de propostas como o Renault Captur, o Peugeot 2008 e o Nissan Juke, denominado por agora C-Aircross.

Com passagem à produção já prometida lá mais para o final deste ano e chegada aos concessionários no início de 2018, o futuro mini-crossover da marca do double chevron apresenta, enquanto protótipo, dimensões muito semelhantes às do C3 Picasso e do Renault Captur, o líder dos SUV desta bitola. Isto, a par de vários elementos distintivos: jantes de 18”, um tecto em vidro, além de portas traseiras com dobradiças posteriores, para mais fácil acesso. A que se juntam ainda câmaras laterais a fazer a vez dos retrovisores exteriores; solução que, no entanto, dificilmente passará para a versão de produção.

Já no interior, um ambiente futurista e certamente também distante daquilo que será possível observar no modelo de produção, com uma espécie de head-up display que substitui o tradicional painel de instrumentos, a par de um enorme ecrã táctil de 12” ao centro do tablier e de vários espaços de arrumação.

Por outro lado, e embora o concept conte com tracção integral, tudo aponta para que a versão de produção opte apenas pelo já conhecido sistema Grip Control, que não deixa de ser uma boa ajuda em terrenos de menor tracção. Sendo que, também em termos de motorizações, o futuro C3 Aircross deverá manter as opções já existentes em outros modelos da marca, como os mais recentes C3 ou o C4 Cactus.

[jwplatform DYA5hQaW]