Segundo a base de dados Pordata, sabemos que o tecido empresarial português é constituído quase na sua totalidade (99%) por pequenas e médias empresas (PME). E, se o acesso ao financiamento é uma das suas prioridades (que dependem em larga escala do crédito bancário para suportar o crescimento e os planos de investimento), é também um dos maiores obstáculos.

Um dos travões ao investimento em Portugal relaciona-se, precisamente, com dificuldades na obtenção de financiamento por parte das empresas, em especial PME. Os anos da crise e o consequente aumento do crédito malparado ditaram cautelas acrescidas por parte da banca. Em março deste ano, por exemplo, 27% das sociedades não financeiras tinha empréstimos em incumprimento, de acordo com as estatísticas mais recentes do Banco de Portugal.

A Linha Capitalizar, lançada em Janeiro deste ano, é gerida pela PME Investimentos em articulação com o Sistema Nacional de Garantia Mútua, e insere-se no Programa Capitalizar. Um plano estratégico promovido pelo Governo para apoiar a capitalização das empresas, a retoma do investimento e o relançamento da economia.

5 fotos

Esta Linha Capitalizar representa um total de 1.600 milhões de euros para as PME, com acesso ao Sistema de Garantia Mútua, um instrumento de partilha de risco e que na prática traduz-se na prestação de garantias financeiras, simplificando a obtenção de crédito, com condições mais favoráveis, nos montantes e nos prazos.

Os valores disponibilizados ao abrigo da Linha de Crédito Capitalizar variam entre os 25 mil e os dois milhões de euros por empresa e os prazos de amortização (com máximo até 10 anos) pretendem estar mais ajustados à realidade empresarial.

A nova linha de crédito apresenta também condições de spread mais vantajosas que oscilam entre 1,8% e 3,7%, a que se acrescentam benefícios adicionais, no caso das empresas com estatuto PME Líder.

Aceder à Linha Capitalizar da Caixa Geral de Depósitos

Mostrar Esconder
  1. Apresente a candidatura das empresas à Linha de Crédito Capitalizar, que é avaliada pela instituição bancária, em função da sua política de risco de crédito;
  2. Se tiver luz verde, o pedido é enviado para a Sociedade de Garantia Mútua associada;
  3. Se a garantia mútua for concedida, o processo será submetido para avaliação à PME Investimentos;
  4. Se receber este último aval, a sua empresa terá acesso ao crédito.

O Ministério da Economia espera que a Linha de Crédito Capitalizar venha a apoiar 20 mil empresas como base nos protocolos formalizados com a Banca nacional, nomeadamente com a Caixa Geral de Depósitos. Este Banco refere “manter uma aposta clara de fomento à Economia, e sua reanimação, pelo que considera esta Linha Capitalizar um instrumento fundamental na conquista de confiança para os empresários”.