Philipp Budeikin, o jovem russo (tem 21 anos) que foi detido por ser suspeito de ter criado o jogo online Baleia Azul, explicou às autoridades russas a sua motivação: “Quero limpar a sociedade.” O esquema de 50 passos, que termina com um incentivo ao suicídio, já levou à morte dezenas de adolescentes. Em Portugal, conhecem-se os casos de sete jovens que se automutilaram depois de participarem no jogo. Mas Budeikin mostra poucos remorsos pelas suas vítimas: “Morreram felizes”, diz.

O mentor do esquema está detido desde novembro em São Petersburgo. Vai ser presente aos juízes pela suspeita do seu envolvimento direto na criação da “Baleia Azul”, depois de ter dito que era dele a autoria da criação do esquema. “Sim, realmente, fi-lo“, começou por dizer Budeikin, citado pela imprensa internacional.

Morreram felizes, dei-lhes o que não têm na vida real: calor, compreensão e comunicação”, diz o mentor do esquema.

Baleia Azul. Ministério Público está a investigar sete casos

O jogo nasceu em 2013. E, segundo as autoridades russas, desde esse momento poderá ter conduzido ao suicídio cerca de 100 jovens daquele país. O criador só foi detido porque um dos participantes russos do jogo abandonou o esquema antes da última etapa, denunciando a intervenção de Philipp Budeikin.

A história, os casos e os alertas do jogo “Baleia Azul” em nove pontos

A limpeza social que o criador da Baleia Azul tinha em mente visa, segundo ele, exterminar os “resíduos biológicos” — é essa a forma como o russo se refere a todos aqueles que participam no esquema. Ainda assim, à prisão de Kresty, em que está detido, têm chegado dezenas de cartas de admiradoras de Budeikin.