A chanceler alemã Angela Merkel pediu aos empresários alemães que permaneçam unidos perante desafios como o Brexit e reformas consideradas importantes, como a criação de um governo económico da zona euro. Merkel admite até a nomeação de um ministro das Finanças europeu, que seja comum a todos os Estados-membros.

“O risco das negociações da saída do Reino Unido da União Europeia é que descuidemos do nosso próprio futuro. Devemos permanecer unidos, não nos devemos dividir”, disse aos empresários alemães, sublinhando a necessidade de “fortalecer a estrutura da economia europeia”.

Com essas palavras, Angela Merkel procurava fazer ver aos empresários que não devem permitir que os interesses particulares se sobreponham e prejudiquem a unidade europeia que é necessária face a desafios como o brexit e a política protecionista de Donald Trump nos EUA.

Sobre a nomeação de um ministro das Finanças comum a todos os Estados-membros, a chanceler alemã mostrou-se aberta a essa possibilidade. “Claro que podemos pensar num ministro das Finanças comum, quando houve condições para isso”, disse, mostrando-se até disponível para mexer nos tratados europeus se for preciso para avançar com essas reformas.

Esta intenção da chanceler alemã também foi manifestada pelo recém-eleito presidente francês, Emmanuel Macron, quando esteve em Berlim na primeira visita de Estado do novo presidente. O eixo franco-alemão está alinhado, com os dois a partilharem a mesma visão para a Europa, que passa por uma cada vez maior cooperação intergovernamental.

Resta saber até que ponto vai esta união governamental, nomeadamente que poderes teria esta figura de ministro das Finanças. Em todo o caso, nenhuma decisão será tomada em breve, pelo menos não antes das eleições alemãs, de 24 de setembro, em que Merkel espera conquistar o quarto mandato.