O BCP contratou o Goldman Sachs International, o Millennium BCP, a SG CIB e o UBS Investment Bank para procurar investidores para a emissão de dívida de 300 milhões de euros a fim de aumentar os rácios de capital.

Numa nota enviada na quinta-feira à noite ao regulador do mercado (CMVM), o banco liderado por Nuno Amado comunicou que mandatou as quatro instituições financeiras para “organizarem um conjunto de reuniões com investidores qualificados europeus, a terem início a 27 de novembro”.

Dependendo das condições de mercado, o banco poderá decidir realizar em seguida uma emissão de títulos de dívida subordinados ao abrigo do seu Euro Note Programme, denominada em Euros, a taxa fixa, com prazo de 10 anos e possibilidade de reembolso antecipado, por parte do Banco, no final do 5.º ano, que se pretende que venha a preencher os requisitos regulamentares para poder ser classificada como instrumento de fundos próprios de nível 2″, refere na nota.

Fonte oficial tinha confirmado na quinta-feira à Lusa que o BCP se encontra a preparar uma emissão de dívida no valor de 300 milhões de euros para reforçar capital e que o grupo de bancos responsáveis pelo processo já tinham sido contratados.

Em maio, o BCP emitiu mil milhões de euros em obrigações hipotecárias a cinco anos, no que representou o seu regresso a este mercado sete anos depois. O BCP divulgou recentemente lucros de 133,3 milhões de euros entre janeiro e setembro, que comparam com prejuízos de 251,1 milhões de euros no mesmo período do ano passado.