Descrito pela própria marca de luxo da Nissan, como o “mais avançado” e “mais arrebatador” produto já produzido pelo fabricante, o novo SUV da Infiniti, o QX50, prepara-se para se mostrar, pela primeira vez, ao público, anunciando vários motivos de interesse. A começar por uma nova estética, mas principalmente, por aquele que é o primeiro motor de compressão variável produzido em massa, o VC-Turbo.

Dado a conhecer em 2016, este novo propulsor é visto pelos responsáveis da Infiniti como “a entrada numa nova era em termos de motores de combustão”, já que exibe a capacidade de ajustar o rácio de compressão, de forma a optimizar, tanto a potência como a eficiência.

Com dois litros de capacidade e turbocompressor, o novo bloco anuncia 272 cv e 380 Nm de binário, valores que lhe permitem cotar-se como o melhor da sua classe em termos da potência. Conseguindo, por exemplo, acelerar dos 0 aos 96,5 km/h em apenas 6,3 segundos, com tracção integral, assim como atingir uma velocidade máxima de 230 km/h.

Ainda de acordo com o fabricante, o novo QX50 deverá ser capaz, com este novo motor, de garantir uma melhoria no consumo de combustível na ordem dos 35%, face ao anterior V6. Com o qual, aliás, se equipara, em termos de performances.

Eis o motor camaleão: ora potente, ora poupado

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além do propulsor, o novo QX50 conta ainda com uma nova plataforma, 23% mais rígida que a anterior e a permitir mais espaço no habitáculo. Resultado também de um crescimento em comprimento, para os 4.693 mm, ao passo que a altura surge fixada nos 1.679 mm. Já em termos de bagageira, o novo modelo anuncia uma capacidade de 1.048 litros, contra os 895 litros da anterior geração.

Equipado com o sistema ProPilot da Nissan, o QX50 consegue acelerar, travar e corrigir a direcção sozinho, quando numa faixa da auto-estrada. Tecnologia a que se juntam, no interior, um total de quatro monitores – um head-up display, um ecrã digital entre o velocímetro e o conta-rotações, além de dois monitores tácteis na consola central, com 8″ e 7”, respectivamente. O superior destina-se à navegação, ao passo que o de baixo permite o acesso ao sistema de informação e entretenimento, além de poder mostrar o espaço em redor do veículo.

Segundo a britânica Autocar, o novo Infiniti QX50 será produzido lado a lado com os modelos da Mercedes-Benz, no México, em resultado de uma já antiga parceria entre ambas as marcas (o Classe A tem também como base o Infini Q30), visando o desenvolvimento e a partilha de plataformas.

A comercialização deverá arrancar já no início de 2018, com preços ainda por definir.