A irmã de Kim Jong-un irá à Coreia do Sul para participar na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, que se realizam em PyeongChang. É a primeira vez que um membro da família Kim visita a Coreia do Sul.

A informação foi avançada pelo Ministério da Unificação da Coreia do Sul, avançam o Korea Herald e a Reuters. O mundo ficou de olhos postos em Kim Yo-jong depois de, no ano passado, ter sido promovida ao politburo, o órgão mais importante de tomada de decisão no Partido dos Trabalhadores da Coreia.

Segundo o North Korea Leadership Watch, a jovem de 30 anos é uma das pessoas mais próximas de Kim Jong-un e, desde que subiu ao politburo, tem gerido “os eventos públicos, os itinerários e as necessidades logísticas”.

A irmã mais nova do líder da Coreia do Norte  junta-se assim a Kim Yong-nam, presidente da Assembleia Popular Suprema (o equivalente ao Parlamento), e a outros dois membros do governo norte-coreano que irão acompanhar a delegação da Coreia do Norte e deverão chegar a PyeongChang na sexta-feira, dia em que começam os Jogos Olímpicos de Inverno — que se prolongam até 25 de fevereiro.

Resta saber como, isto é, se irão de avião ou por terra. Segundo o Korea Herald, se os altos cargos do governo norte-coreano decidirem ir para a Coreia do Sul de avião, através da companhia do estado Air Koryo, isso será uma violação das sanções impostas pelos EUA. O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Sul, contudo, referiu que isso não será um problema: “Para Kim [Yong-nam], que tem 91 anos, vai ser complicado viajar por terra. Provavelmente irá visitar a Coreia do Sul de avião”, adiantou ainda o Ministro da Unificação da Coreia do Sul, Jeong Se-hyun, numa entrevista esta terça-feira.

De acordo com a BBC, a delegação de Pyongyang, cuja maioria chegou hoje à Coreia do Sul, é liderada pelo ministro do Desporto da Coreia do Norte, Kim Il-guk, e é composta por 280 pessoas: 229 cheerleaders, quatro membros da Comissão Nacional dos Jogos Olímpicos, 26 atletas de taekwondo e 21 jornalistas.