Pelo menos 800 civis, incluindo 177 crianças, foram mortos em bombardeamentos contra o enclave rebelde de Ghouta oriental desde o início de uma ofensiva do regime a 18 de fevereiro, indicou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Dezanove civis, entre os quais quatro crianças, foram mortos esta terça-feira, segundo o OSDH, que adianta que os bombardeamentos contra o enclave, nos arredores de Damasco e sitiado desde 2013, prosseguiram hoje, mesmo durante o período de tréguas diárias (07h00-12h00 TMG, mesma hora em Lisboa) decretado por Moscovo, grande aliado de Damasco.

“A trégua de Putin acabou, pois os bombardeamentos não pararam”, afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, à agência France Presse.

Na segunda-feira, um comboio humanitário que entrou na área para distribuir alimentos e medicamentos teve de abreviar a sua missão devido a bombardeamentos na zona de Douma.

Nesta grande cidade de Ghouta oriental domina a paisagem da destruição, segundo um correspondente da AFP.

Paralelamente à ofensiva aérea, o regime intensificou as operações terrestres na última semana e em alguns dias as forças governamentais recuperaram cerca de 40% do enclave, no leste e sudeste, posicionando-se a cerca de dois quilómetros de Douma, segundo o OSDH.