Uma mulher que tinha ficado ferida nos incêndios de outubro no centro de Portugal morreu este sábado, disse à agência Lusa fonte do hospital. De acordo com a mesma fonte, a mulher teria mais de 70 anos.

A vítima estaria internada desde o incêndio, no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Segundo o Correio da Manhã, a mulher tinha ficado gravemente ferida, depois das chamas terem atingido a casa onde vivia em Chão de Vento, Mortágua, no distrito de Viseu.

O número de mortes nos incêndios de 14, 15 e 16 de outubro sobe assim para 49. A Comissão Técnica Independente que analisou os fogos informou, num relatório entregue esta semana na Assembleia da República, que o número de vítimas mortais era de 48 e não 46 como se tinha vindo a noticiar. A comissão entregou na terça-feira passada, no parlamento, o relatório dos fogos de outubro, envolvendo oito distritos das regiões Centro e Norte. O documento, que atualizava então para 48 o número de mortos nesse mês, concluiu que falhou a capacidade de “previsão e programação” para “minimizar a extensão” dos incêndios.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apresentou este domingo condolências à família da mulher. “Tendo tomado conhecimento do infausto acontecimento, venho, em nome do Governo, manifestar o nosso profundo pesar pelo sucedido. Nesta hora difícil resta-me, com grande consternação, transmitir os sentimentos de tristeza e sentida solidariedade”, escreve Eduardo Cabrita na mensagem enviada à família.