Prémios e Galardões

Prémios Áquila. “Al Berto” e “São Jorge” nomeados em cinco das sete categorias de cinema

"Al Berto" e "São Jorge" estão nomeados em cinco das sete categorias de cinema dos Prémios Áquila. Pode ver os nomeados em todas as categorias no artigo. Os vencedores são anunciados a 21 de abril.

CLAUDIO ONORATI/EPA

Os filmes “Al Berto” e “São Jorge” estão nomeados em cinco das sete categorias de Cinema dos Prémios Áquila 2018, incluindo Melhor Filme, Melhor Ator Principal e Melhor Ator Secundário, foi anunciado esta terça-feira.

Os prémios Áquila, atribuídos pela Fénix — Associação Cinematográfica, distinguem as melhores produções portuguesas de cinema e televisão e os vencedores são escolhidos pelo público, através de votação online.

No cinema, os candidatos da Melhor Filme são, além de “Al Berto” e “São Jorge”, “A Morte de Luís XIV”, “Índice Médio de Felicidade” e “Zeus”. Na categoria de Melhor Realizador competem João Canijo (“Fátima”), Joaquim Leitão (“Índice Médio de Felicidade”), Pedro Pinho (“A Fábrica de Nada”), Marco Martins (“São Jorge”) e Paulo Filipe Monteiro (“Zeus”).

“Al Berto” é o único filme com três nomeações numa única categoria, a de Melhor Ator Secundário: Carlos Oliveira, João Villas-Boas, José Pimentão. Na mesma categoria estão ainda nomeados Adriano Luz (“São Jorge”) e Miguel Cunha (“Zeus”).

Em televisão, competem, pelo prémio de Melhor Série, Minissérie ou Telefilme, “A Família Ventura”, “Filha da Lei”, “Madre Paula”, “Sim, Chef!” e “Vidago Palace”, e, pelo de Melhor Telenovela, “A Herdeira”, “Espelho d’Água”, “Jogo Duplo”, “Ouro Verde” e “Paixão”.

Os nomeados foram escolhidos por duas comissões compostas por 50 personalidades das áreas do cinema e da televisão, entre as quais as atrizes Alexandra Lencastre, Sofia Nicholson, Joana Brandão e Carmen Santos e os realizadores Gonçalo Almeida, Jorge Cramez e Hugo de Sousa.

Os vencedores dos prémios Áquila 2018 são anunciados a 21 de abril. A lista completa de nomeados aos prémios Áquila 2018 pode ser vista abaixo.

Cinema

Melhor Filme

“A Morte de Luís XIV” (Capricci Films, Rosa Filmes e Andergraun Films)

“Al Berto” (Ukbar Filmes)

“Índice Médio de Felicidade” (MGN Filmes)

“São Jorge” (Filmes do Tejo)

“Zeus” (Happygénio)

Melhor Realizador

João Canijo (“Fátima”)

Joaquim Leitão (“Índice Médio de Felicidade”)

Pedro Pinho (“A Fábrica de Nada”)

Marco Martins (“São Jorge”)

Paulo Filipe Monteiro (“Zeus”)

Melhor Argumento

“A Morte de Luís XIV” (Albert Serra e Thierry Lounas)

“Al Berto” (Vicente Alves do Ó)

“São Jorge” (Ricardo Adolfo e Marco Martins)

“Uma Vida à Espera” (Frederico Pombares)

“Zeus” (Paulo Filipe Monteiro)

Melhor Atriz Principal

Carla Galvão (“A Fábrica de Nada”)

Dânia Neto (“Perdidos”)

Joana Pais de Brito (“A Mãe é que Sabe”)

Maria João Abreu (“A Mãe é que Sabe”)

Matilde Serrão (“Jacinta”)

Melhor Ator Principal

Anton Yelchin (“Porto”)

Miguel Borges (“Uma Vida à Espera”)

Nuno Lopes (“São Jorge”)

Ricardo Teixeira (“Al Berto”)

Sinde Filipe (“Zeus”)

Melhor Atriz Secundária

Catarina Wallenstein (“Peregrinação”)

Lia Gama (“Índice Médio de Felicidade”)

Margarida Carpinteiro (“A Mãe é que Sabe”)

Paula Lobo Antunes (“Jacinta”)

Rita Loureiro (“Al Berto”)

Melhor Ator Secundário

Adriano Luz (“São Jorge”)

Carlos Oliveira (“Al Berto”)

João Villas-Boas (“Al Berto”)

José Pimentão (“Al Berto”)

Miguel Cunha (“Zeus”)

Televisão

Melhor Série, Minissérie ou Telefilme

“A Família Ventura” (Be Active)

“Filha da Lei” (Stopline Films)

“Madre Paula” (Vende-se Filmes)

“Sim, Chef!” (Valentim de Carvalho)

“Vidago Palace” (HOP Filmes)

Melhor Telenovela

“A Herdeira” (Plural Entertainment)

“Espelho d’Água” (SP Televisão)

“Jogo Duplo” (Plural Entertainment)

“Ouro Verde” (Plural Entertainment)

“Paixão” (SP Televisão)

Melhor Canção Original ou Adaptada

“Bang” de Ella Nor (“Jogo Duplo”)

“Haja o que Houver” de Madredeus (“O Sábio”)

“I Need This Girl” de Virgul (“Ouro Verde”)

“O Meu Lugar” de Amor Electro (“Espelho d’Água”)

“Paixão” de HMB (“Paixão”)

Melhor Atriz Principal

Alexandra Lencastre (“A Herdeira”)

Anabela Moreira (“Filha da Lei”)

Joana Ribeiro (“Madre Paula”)

Maria João Bastos (“País Irmão”)

Luísa Cruz (“Espelho d’Água”)

Melhor Ator Principal

Diogo Martins (“Sim, Chef!”)

Diogo Morgado (“Ouro Verde”)

José Raposo (“País Irmão”)

Renato Godinho (“Espelho d’Água”)

Pedro Lamares (A Herdeira)

Melhor Atriz Secundária

Carla Andrino (“Ministério do Tempo”)

Joana Seixas (“A Família Ventura”)

Lídia Franco (“Espelho d’Água”)

Manuela Couto (“Jogo Duplo”)

Margarida Marinho (“Vidago Palace”)

Melhor Ator Secundário

Elmano Sancho (“Filha da Lei”)

João Baptista (“Filha da Lei”)

José Mata (“Paixão”)

Pedro Barroso (“Vidago Palace”)

Tomás Alves (“A Família Ventura”)

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cristianismo

Nos portais do mistério, com Charles Péguy

Jaime Nogueira Pinto

De maioria que éramos, dominante e governante, e por isso até arrogante, nós cristãos, na Europa e no mundo, estamos a ficar minoria e voltámos a ser perseguidos, alvo de atentados, de descriminações.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)