Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As melhores imagens do protótipo I.D. Concept foram tiradas em Lisboa, pelo que há muito que conhecíamos as formas gerais do veículo com que a Volkswagen vai iniciar a sua ofensiva eléctrica, a partir de finais de 2019. E vai recorrer a modelos concebidos de raiz para serem eléctricos, alimentados por bateria, ao contrário do que acontecia com o e-Golf e o e-up!, que tomaram como base um modelo concebido para ser animado por mecânicas a gasolina ou a gasóleo. Mas eis que agora surgiu no jornal alemão Bild uma foto do modelo já em versão definitiva, o que torna possível perceber como será o Volkswagen que estará à venda dentro de pouco mais do que um ano e que, segundo a mesma publicação, se chamará Neo.

O “alegadamente” Neo já monta faróis funcionais, retrovisores exteriores convencionais – as câmaras de vídeo exteriores a projectarem a imagem nuns ecrãs interiores, similares aos do I.D. Concept, ainda não são permitidas pela legislação – e, mais importante, as portas traseiras passam a ser normais e não suicidas (a abrir da frente para trás), como acontecia no protótipo. É ainda possível constatar a presença do pequeno apêndice colocado sobre a tampa da mala, o que já se esperava, pois a aerodinâmica é fundamental nos automóveis eléctricos e as unidades que circularam por Lisboa já exibiam este acessório.

Em tudo o resto, o Neo respeita o que já conhecíamos no protótipo, desde um comprimento total relativamente curto, idêntico ao de um Golf, para depois oferecer um habitáculo consideravelmente longo – a VW fala num espaço interior similar ao de um Passat –, o que é atingido à custa de uma frente muito mais curta do que o habitual. O que até faz sentido, uma vez que neste caso não há motor a combustão volumoso, nem caixa com seis ou sete velocidades, para alojar no capot da frente.

O novo Volkswagen vai começar a ser produzido a partir de Junho de 2019, para chegar ao mercado antes de final do ano, sendo por isso considerado model year 2020. Como é habitual entre os veículos eléctricos, a versão definitiva do I.D. Concept estará disponível com vários motores e capacidade de bateria, com o fabricante a ter já anunciado autonomias entre 400 e 600 km, segundo o ciclo NEDC, o que pela experiência do Renault Zoe e Nissan Leaf, permite antever cerca de 300 e 450 km para a norma WLTP, substancialmente mais realista.

Quanto a preços ainda não há valores definitivos, excepção feita para a promessa, por parte do construtor germânico, que a versão definitiva do I.D. Concept será proposta a partir de 25.000€. E isto representa não uma, mas duas boas notícias, pois além do preço do VW ser competitivo – o Nissan Leaf e o Renault Zoe são propostos em Portugal por um pouco mais de 30.000€ –, este valor vai limitar a possibilidade de a Tesla colocar o seu Model 3 muito mais caro, quando o introduzir no mercado europeu. De recordar que o Model 3 é proposto nos EUA, na sua versão mais acessível, por 35.000 dólares, ou seja, cerca de 29.000€.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR