É o mistério da árvore. Se a fotografia de Emmanuel Macron e Donald Trump a plantarem uma árvore nos jardins da Casa Branca, sob o olhar atento de Melania Trump e Brigitte Macron, se tornou viral, agora são outras as fotografias que estão a dar que falar: imagens captadas por um fotógrafo da Reuters este sábado mostram o local vazio, e com uma mancha de relva mais amarelada no local onde o carvalho tinha sido plantado. O que aconteceu? Não foi nenhum acidente diplomático.

A árvore era um presente levado pelo casal francês diretamente do bosque de Belleau, onde mais de 9.000 norte-americanos morreram em 1918, durante a I Guerra Mundial. Na altura, a primeira dama francesa justificou a oferta como sendo uma homenagem de França aos Estados Unidos e ao seu esforço e sacrifício em prol da segurança e estabilidade europeias. O simbolismo da oferta levou a um momento igualmente simbólico: de pá em riste, Trump e Macron plantaram a árvore na última segunda-feira sob o olhar das respetivas mulheres.

Passeios, visitas, sorrisos e um carvalho: o primeiro dia do casal Macron nos EUA

O momento, além de ter ficado registado em fotografias que motivaram piadas nas redes sociais,  motivou especulação sobre até que ponto o presidente francês não estaria a “provocar” e a “gozar” com Donald Trump por causa das suas políticas ambientais e da saída dos EUA do acordo climático de Paris.

Agora, segundo o Guardian, há fortes indícios de que o carvalho plantado na segunda-feira, afinal, desapareceu. As provas são as fotografias tiradas este sábado por Yuri Gripas, fotógrafo da agência Reuters, que mostram relva amarelada no local do jardim da Casa Branca onde a árvore tinha sido plantada.

Segundo o Guardian, que cita a edição francesa do Huffpost, a árvore foi mesmo retirada do local, mas não por motivos diplomáticos. Apenas por motivos de saúde arborígena. De acordo com uma fonte do Eliseu, a árvore foi retirada para estar no habitual período de “quarentena” — período imposto pela Alfândega dos EUA sobre qualquer importação de plantas, para evitar a propagação de doenças.