“Um em cada três casamentos nos Estados Unidos da América começam online”, afirmou Mark Zuckerberg na apresentação do F8, o evento anual para programadores da empresa. Foi na sede da empresa na Califórnia que o fundador anunciou novas ferramentas e produtosteve direito a uma reação especial por parte das milhares de pessoas que estavam presentes: até ao final do ano, vai ser possível encontrar a sua cara metade no Facebook, numa ferramenta própria para dating [encontros amorosos] na rede social.

“Até hoje não fizemos nenhuma ferramenta para juntar [e não aproximar] as pessoas”, disse o executivo. “Milhões de pessoas dizem que são solteiras no Facebook e temos de fazer algo quanto a isso”, disse o fundador da rede social antes de anunciar a nova ferramenta de “dating”. O evento está a ter lugar na sede da empresa na Califórnia e Mark Zuckerberg aproveitou o início para falar também dos assuntos mais polémicos dos últimos meses: Cambridge Analytica e proteção de dados.

“É para relações com algum significado, não apenas casos de uma noite”, afirmou Zuckerberg. A ferramenta ainda não tem data de lançamento oficial, mas o executivo afirmou que quem quiser utilizá-la pode fazê-lo sem os amigos na rede social saberem: “Sabemos que a privacidade é importante”. O objetivo é que quem esteja à procura de uma relação amorosa possa entrar em contacto com outros utilizadores, à semelhança do que outras aplicações de relações amorosas já fazem, como o Tinder.

Qualquer utilizador vai poder aderir ao dating, da mesma forma que adere a grupos no Facebook. Através da própria conta ou de uma conta autónoma da ferramenta, vai ser possível procurar amor. Depois, juntando os interesses, gostos dos utilizadores e amigos na plataforma, a rede social oferece sugestões de match. Os testes vão começar no final do ano, mas Zuckerberg já deu uma garantia: os amigos do utilizador não vão saber que este está a utilizar a ferramenta.

*O Observador está no F8, em São José, na Califórnia, a convite do Facebook