Casamento Real

O vestido, os convidados e a festa na praia. Como foi o 1º casamento de Meghan Markle?

192

Em 2011, Meghan Markle casou numa praia das Caraíbas com um vestido caicai e os pés na areia, numa festa com 102 convidados. Afinal, como foi o primeiro casamento da futura mulher do príncipe Harry?

Casaram em 2011 e divorciaram-se 2 anos depois. Como foi o casamento de Meghan Markle e Trevor Engelson?

Imagem retirada de Twitter.com/dailymailuk

Para o caso de só agora ter saído da caverna onde viveu nos últimos seis meses, não, este não é o primeiro casamento de Meghan Markle, e sim, a noiva escolhida pelo príncipe Harry é divorciada de Trevor Engelson, ator, produtor e gestor de talentos, com quem se casou em 2011. Em vésperas do casamento real na vila britânica de Windsor, esta não é a primeira vez que Markle, 36 anos, planeia a própria boda, embora a anterior, além de não ter resultado propriamente num matrimónio duradouro, tenha ficado a léguas do protocolo hoje exigido pela casa real.

Meghan e Trevor, que é cinco anos mais velho, conheceram-se em 2004. Seis anos depois, ficaram noivos. Casaram-se no dia 10 de setembro de 2011, em Ocho Rios, uma cidade costeira no norte da Jamaica. A celebração terá estado inserida em quatro dias de férias com amigos e no dia 10, um sábado, o casal reuniu 102 convidados junto à praia, num hotel chamado Jamaica Inn. A cerimónia não terá durado mais do que 15 minutos, segundo uma fonte citada pela edição britânica do Metro. Logo a seguir, noivos e convidados caíram na pista, descalços e de pés na areia.

A praia do Jamaica Inn, o hotel onde Meghan casou com Trevor Engelson, em setembro de 2011 © Imagem retirada do TripAdvisor

Fotografias divulgadas no início deste ano mostram o recinto e alguns momentos da festa, incluindo aquele em que Meghan e Trevor, sentados em cadeiras, foram erguidos pelos convidados. As mesmas imagens mostram bem o vestido escolhido pela atriz de “Suits” para o enlace.

Branco, comprido e com um decote caicai, o vestido revelou ser até bastante clássico para um casamento na praia. O decote tinha um pequeno recorte em v que criava um ligeiro franzido na parte da frente do vestido. A simplicidade do tecido e do corte foi quebrada por um cinto de brilhantes em tons de bege.

Quanto às joias, longe ainda de pensar em tiaras reais, Markle usou apenas um discreto fio dourado e uma pulseira no mesmo tom. Trevor honrou a tradição dos casamentos balneares e vestiu uma camisa e umas calças brancas, harmonia interrompida por um cinto de pele castanho. Afinal, mesmo sendo de noite, devia estar algum calor.

Os próprios convidados também assumiram a mesma descontração. Os homens vestiram calças e camisas leves, as mulheres vestidos fluidos, uns mais compridos do que outros, e deram tudo nos estampados. As damas de honor não foram exceção. Numa das imagens divulgadas contam-se quatro, vestidas com o mesmo vestido comprido, leve, com um padrão em tons nude e pêssego e também caicai. Nas fotografias, Meghan tanto aparece com o cabelo solto, de ar natural, como com rabo-de-cavalo.

Mas as fotografias não se ficam pelo casamento. No total, foram quatro dias passados na Jamaica e com um grupo que incluía Doria Ragland, mãe de Meghan Markle, na altura com 30 anos. Pode ver-se a atual noiva do príncipe Harry, sexto na linha de sucessão ao trono britânico, na praia, de boné e com um biquíni amarelo às bolas brancas da Victoria’s Secret. Numa imagem aparece junto a uma mesa com garrafas e copos vazios, noutra, a participar numa partida de “carro de mão humano”.

Meghan Markle e Trevor Engelson permaneceram casados durante menos de dois anos. O divórcio chegou em agosto de 2013 e a causa poderá ter sido a distância. Enquanto Meghan filmava a série “Suits” em Toronto, no Canadá, Trevor permanecia em Los Angeles. Cerca de três anos depois, a atriz norte-americana conheceu o príncipe Harry.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)