Wimbledon

João Sousa e Gastão Elias estreiam-se ante Stakhovsky e Garcia-Lopez em Wimbledon

João Sousa, o português mais bem classificado no ranking mundial, vai encontrar Sergei Stakhovsky no Open de Wimbledon. Gastão Elias enfrenta o espanhol Guillermo Garcia-Lopez.

CAROLINE BLUMBERG/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Os tenistas portugueses João Sousa e Gastão Elias vão estrear-se no Open de Wimbledon frente ao ucraniano Sergei Stakhovsky e ao espanhol Guillermo Garcia-Lopez, respetivamente, ditou esta sexta-feira o sorteio da terceira prova do Grand Slam de 2018.

Sousa, o português mais bem classificado no ranking mundial, no qual ocupa o 47.º lugar, vai defrontar o atual 109.º colocado na hierarquia na primeira eliminatória do torneio inglês de relva, no qual tem como melhor resultado a presença na terceira ronda, em 2016. Os dois tenistas já mediram forças por três vezes, sempre em torneios de piso rápido e em recinto coberto, com Sousa, de 29 anos, a vencer em São Petersburgo (2013) e em Antuérpia (2017), enquanto Stakhovsky, de 32 anos, impôs-se em Moscovo (2013).

Elias, número 118 do mundo, que nunca passou da primeira eliminatória em Wimbledon, nas duas vezes em que a atingiu (2013 e 2016), encontrará Garcia-Lopez, atual 69.º posicionado do ranking, que chegou a terceira ronda da prova inglesa, há 10 anos (2008).

O tenista português, de 27 anos, saiu vitorioso nas duas únicas vezes que defrontou o veterano espanhol, de 35 anos, em torneios do ATP, em Oeiras, em 2014, e em Umag, na Croácia, em 2016, apesar de ter perdido o último confronto, em 2017, na qualificação em Roma.

O suíço Roger Federer, recordista de títulos em Wimbledon, com oito troféus conquistados, entre os quais no ano passado, detém estatuto de primeiro cabeça de série e vai defrontar o sérvio Dusan Lajovic na ronda inaugural.

O espanhol Rafael Nadal, número um do mundo e segundo pré-designado do torneio inglês, que venceu por duas vezes, em 2008 e 2010, vai estrear-se na edição deste ano frente ao israelita Dudi Sela.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)