Itália

Fragata portuguesa participa em missão de controlo de fronteiras no sul de Itália até setembro

A fragata Álvares Cabral, com uma guarnição base de 135 militares, participará na operação "THEMIS", da Agência Europeia Frontex, durante 72 dias, realizando patrulhas as áreas a sul da Itália.

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Uma fragata da Marinha portuguesa parte no próximo domingo para o Mediterrânio central para integrar uma missão de “controlo da rota de migração irregular” da Agência Europeia de fronteiras, até setembro.

A fragata Álvares Cabral, com uma guarnição base de 135 militares, participará na operação “THEMIS”, da Agência Europeia Frontex, durante 72 dias, realizando patrulhas as áreas a sul da Itália, anunciou esta sexta-feira a Marinha.

A bordo estarão também uma equipa de abordagem de Fuzileiros, uma equipa de mergulhadores, uma equipa médica reforçada, inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e dois oficiais de ligação italianos, representando as autoridades policiais da Itália.

A operação “contempla a segurança da vida humana no mar, a luta contra o tráfico de imigrantes e o tráfico de seres humanos, a segurança das fronteiras externas da União Europeia”, incluindo a “identificação e registo de imigrantes irregulares e os procedimentos de proteção internacional”, refere um comunicado da Marinha.

O controlo da rota “de migração irregular em direção às fronteiras externas da União Europeia”, com “operações de busca e salvamento em massa”, visando evitar “a perda de mais vidas humanas” naquela região e o apoio ao “combate ao tráfico de seres humanos e das redes criminosas transnacionais” são os objetivos da missão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)