O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, tem sido alvo de duras críticas da oposição por ter utilizado o avião oficial do Governo para assistir a um concerto de The Killers, na sexta-feira. O líder espanhol justificou a visita com a reunião informal que teve com Ximo Puig, chefe do conselho de Valência.

Na sexta-feira, o avião oficial aterrou em Castellón, o aeroporto da cidade de Valência. Pedro Sánchez deslocou-se à Câmara Municipal da cidade, onde assinou o livro de honra e se encontrou com o presidente da câmara de Valência, Amparo Marco. Foi a pé até ao centro da cidade e teve uma reunião de 45 minutos com o chefe do conselho, Ximo Puig, descrita por ambos como “informal”.

A reunião acabou por volta das 18h30 e Sánchez foi diretamente para o Festival de Benicasim, para assistir ao concerto de The Killers com a sua mulher, Bergoña Gómez. O casal passou pelos bastidores do concerto antes de subir ao palco, onde Sánchez foi aplaudido pelo público. O primeiro-ministro acabou a ver o concerto numa bancada lateral junto ao palco.

Não foi a primeira vez que Pedro Sánchez foi ao festival. Em 2016, esteve lá precisamente para ver a banda liderada por Brandon Flowers, embora tenha passado despercebido.

Os deputados do Partido Popular e do Ciudadanos já criticaram a deslocação ao concerto. “Pedro Sánchez terá que explicar no Congresso sua ‘visita oficial’ a Castellón com o avião oficial para ver The Killers. Desde os tempos de Alfonso Guerra não havia tal desperdício do dinheiro público “, disse o líder do grupo parlamentar do PP, Rafael Hernando.

O primeiro-ministro interino, enquanto aumenta o imposto sobre o combustível para todos os espanhóis, queima centenas de litros para ir a um concerto”, afirmou Guillermo Díaz, deputado do Ciudadanos.