O Fisco espanhol e Cristiano Ronaldo chegaram finalmente a acordo: o jogador português vai pagar cerca de 19 milhões de euros às finanças espanholas. De acordo com a agência EFE, Ronaldo evita uma pena de prisão de dois anos caso admita os crimes.

O capitão da Seleção Nacional terá de se declarar culpado de quatro crimes fiscais cometidos entre 2011 e 2014 e relacionados com direitos de imagem. Cristiano Ronaldo terá incorrido numa fraude de 14.768.897 euros – com a grande maioria, mais de oito milhões de euros, remontarem a 2014.

Os 19 milhões de euros pagos pelo agora jogador da Juventus vão ser divididos entre a compensação ao Fisco espanhol, de “apenas” 5,7 milhões, uma multa e a retribuição do dinheiro gasto pelo Ministério Público na investigação.

No mês passado, a defesa de Cristiano Ronaldo anunciou que o jogador tinha aceitado dois anos de pena suspensa e o pagamento dos 19 milhões de euros – enquanto que o Fisco espanhol continuava a insistir que o valor da compensação teria de rondar os 30 milhões.

Cristiano Ronaldo aceita dois anos de pena suspensa e paga 18,8 milhões ao fisco espanhol

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante o processo, Cristiano Ronaldo procurou afirmar desconhecimento das manobras financeiras das que as autoridades espanholas o acusavam. “Não entendo muito disto. Tenho apenas o sexto ano de escolaridade e a única coisa que sei fazer bem é jogar futebol. Se os meus assessores me dizem ‘Cris, não há problema’, eu acredito neles”, disse Cristiano Ronaldo perante a juíza, em 5 de agosto de 2017.

Ainda assim, segundo o El Mundo, o fisco atribuiu-lhe responsabilidade direta pelos quatro delitos fiscais, referindo como indício do seu conhecimento de culpa a regularização voluntária que fez da sua situação fiscal em 2014.

Cristiano Ronaldo: “Só tenho o 6.º ano e a única coisa que sei fazer bem é jogar futebol”